5 comportamentos que podem ferir e até matar a sua fé

Postado por em: Reflexões Quer receber os estudos bíblicos do Presbítero André gratuitamente em seu e-mail? Vagas limitadas, não deixe para amanhã, Cadastre-se grátis (em 30 segundos) clicando aqui

A Bíblia nos ensina sobre a importância da fé na vida dos servos de Deus. Podemos ver Jesus Cristo em diversos momentos questionando Seus discípulos por causa da falta dela ou por a terem em pouco uso: “Perguntou-lhes, então, Jesus: Por que sois tímidos, homens de pequena fé?” (Mateus 8:26). O fato é que todos nós estamos sujeitos a ter uma fé inoperante, morta, caso não tenhamos atitudes que cultivem uma fé viva, operante e fervorosa.

Jesus, inclusive, profetizou que nos últimos tempos a fé das pessoas estaria tão em falta que seria difícil achá-la: “Contudo, quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, fé na terra?” (Lucas 18:8). Tiago também falou de uma fé morta, aquela fé que não tem frutos: “Porque, assim como o corpo sem espírito é morto, assim também a fé sem obras é morta” (Tiago 2:26)

Dessa forma, é importante darmos valor a esse assunto, pois é possível que, se não cuidarmos, tenhamos uma fé que não agrada a Deus! Mas quais são esses comportamentos que têm o potencial de matar a nossa fé? Hoje quero falar um pouco desses comportamentos e como eles são prejudiciais para uma fé saudável. Seria muito bom se nós nos afastássemos dessas formas de agir pelo bem da nossa fé.

5 comportamentos que podem matar a sua fé

Comportamentos que matam a fé

(1) Menosprezar as suas dúvidas

Nós sempre aprendemos que a dúvida é contrária a fé. No entanto, é preciso compreender que nem toda dúvida é contrária à fé, mas toda dúvida tem o potencial de nos levar a perder a fé. Quando temos alguma dúvida não significa que não temos fé, significa que queremos resolver algo dentro de nós, algo que não se encaixa, que está nos travando em algum assunto. Menosprezar nossas dúvidas é ruim para nossa fé. O bom para o crescimento dela é quando buscamos na Palavra de Deus o entendimento daquilo que incomoda nosso coração. Isso vai gerar crescimento.

Quando Jesus morreu muitos dos discípulos ficaram com muitas dúvidas. Mas Jesus as esclareceu e fortaleceu a fé deles: “Então, lhes abriu o entendimento para compreenderem as Escrituras…” (Lucas 24:45). Jesus não menosprezou as dúvidas de seus discípulos, antes, fez questão de resolvê-las.

Veja também:
- Teologia sem mensalidades (Comece aqui)
- Formação de Professores Para o Ministério Infantil (Comece aqui)
- Memorização Fácil da Bíblia (Comece aqui)
- Método Como Ler a Bíblia E Entendê-la Mais Facilmente (Comece aqui)
- Outros Materiais (Comece aqui)

(2) Não nutrir a sua mente

Muita gente associa fé a sentimentos. Mas essa é uma associação perigosa. Se alguém tem uma fé alicerçada em sentimentos, essa pessoa tem uma fé extremamente frágil, pois nossos sentimentos são enganosos e passam por altos e baixos constantes. A fé forte é aquela baseada nas coisas que racionalmente cremos. Ou seja, é tudo aquilo que está em nossa mente, nosso aprendizado, nossas experiências, nossa vivência com Deus. Quando os discípulos eram perseguidos e maltratados, se sua fé estivesse nos sentimentos, certamente desistiriam por causa das dores e grande pressão que sofriam. Mas como a fé deles estava fortemente nutrida dentro de suas mentes, eles resistiam às dores e ficavam firmes na fé. Nutra a sua mente com o puro alimento espiritual se quiser ter uma fé forte.

(3) Entupir-se de atividades religiosas

Ativismo religioso é quando nos entupimos de atividades religiosas achando que estamos com isso servindo melhor a Deus. Muitas pessoas perdem a fé por causa disso. Mas por quê? A resposta é simples: Nossa vida precisa de equilíbrio para ser saudável. Uma quantidade exagerada de atividades religiosas vai gerar sobrecarga, vai te fazer cuidar mal de sua família, de você mesmo, ter pouco tempo para nutrir sua mente e cuidar da sua comunhão com Deus. Isso é muito prejudicial à fé. Precisamos ser equilibrados. Precisamos aprender a dizer não a coisas que Deus não nos mandou fazer, a avaliar o que podemos fazer e o que não podemos. Sabedoria para não assumir mais trabalhos do que temos a capacidade é a medida certa. Ter esse equilíbrio é muito saudável à fé.

(4) Não ter comunhão solitária com Deus

Eu chamo de comunhão solitária aquele tempo só nosso com Deus. Tempo de relacionar-se com Ele “olhos nos olhos”, ou seja, de ter uma proximidade pessoal com o Pai. Muitas pessoas têm negligenciado isso! Não existe fé saudável sem que haja relacionamento com o autor da fé. Como podemos ter uma fé viva se não temos sequer um tempo para estar aos pés do nosso Deus? Negligenciar essa comunhão é enfiar uma faca todos os dias em nossa fé. Uma hora ela irá morrer.

Jesus ensinou algo impressionante sobre isso: “Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer” (João 15:5). A comunhão solitária é como se todos os dias estivéssemos cuidando para estar muito bem ligados “à videira”, ou seja, em nosso Deus. Isso garante uma fé forte e saudável.

(5) Achar que nunca vai perder a fé

Muita gente se acha. Acha que são bons, que nunca negarão as suas convicções. Eu prefiro ser como o apóstolo Paulo, que sabia que precisava, antes de tudo, ser humilde e dependente de Deus, senão corria sério risco de ter problemas: “Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia” (1 Coríntios 10:12). Quem sabe que pode cair é mais cuidadoso em seus comportamentos. Quem acha que nunca vai cair, anda sobre um “salto alto” perigoso, que pode cair a qualquer momento, por causa do descuido. Uma visão humilde de nós mesmos vai ajudar muito a manter a nossa fé firme, mesmo naqueles momentos em que somos balançados pelos impactos da vida.

Mais Estudos Bíblicos (clique para ver):

Compartilhe a Bênção:


> Curso Livre Bacharel em Teologia - Sem mensalidades e 100% online (vagas abertas - clique)

Recomendado Pra Você

Tem 33 anos, ama escrever e estudar a Bíblia Sagrada. Escreve artigos aqui no Blog Esboçando Ideias há mais de 7 anos. É membro da Igreja Presbiteriana Bela Jerusalém, onde atua como presbítero, líder do louvor e professor da Escola Dominical. É o autor do Método Como Ler a Bíblia e Entendê-la Mais Facilmente e do Manual Bíblico das questões difíceis da Bíblia. O presbítero André Já escreveu mais de 1200 artigos neste blog. Contato: andre@esbocandoideias.com

Comente usando seu Facebook ou use o sistema de comentários normal no fim da página

9 comentários

  • Marcus Hendrique Oliveira disse:

    faltou um item que é essencial:
    Evitar pecar muito, viver em santidade:
    “Não deis lugar ao diabo.
    Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade.
    Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem.
    E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção.
    Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós,
    Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.”
    (Efésios 4:27-32)

    Responder
  • Marcelo Almeida disse:

    Quero agradecer excelente materia explanada. Realmente, por experiencia propria e de outros que, pareciam muralhas inabalaveis, cairem, por nao dedectar e ou seguir os passos necessarios, bem como diferenciar o tipo de fe que cada um tem, talvez por orgulho para dizer o minimo, sucumbiram ao desanimo e ao naufragio da fe.

    Responder
  • Jaque Line disse:

    Deus abençoe seu ministério pastor, continue se aplicando aos estudos da palavra e fazendo esses textos que nos ensinam mais sobre as escrituras sagradas. Deus o abençoe!

    Responder
  • ivony disse:

    nossa chegou na hora certa, gosto muito porque vc ensina a verdade. Deus continue te abençoando.

    Responder
  • Maria Amélia Rodrigues dos Santos disse:

    Essa parte falou ao meu coração que Deus o abençoe.

    Responder
  • Ana Go disse:

    Muito importante este artigo sobre a fé. Gostaria de ter uma fé inabalável, por isso tento ao máximo ler, estudar e orar.

    Responder
  • Marcelo Emídio disse:

    Boa noite, Presbítero André Sanchez! Graça e Paz!
    Gostei do artigo para reflexão, por ele ser prático e bastante claro. Entretanto, ao lê-lo, fiquei com uma dúvida. Trata-se de uma dúvida legítima, sou sincero ao dizer que não tenho a menor intenção de criar polêmicas.
    Se realmente podemos “matar” nossa fé (sim, eu entendi a mensagem, você quis dizer enfraquecer por não vigiar e orar), então como sustentar essa afirmação com a impossibilidade de se perder a salvação? Se biblicamente podemos afirmar com segurança que a eleição de Deus é soberana e que nada nos pode afastar d’Ele, então como podemos conjugar a eleição incondicional com a possibilidade de perder a fé?
    Novamente, digo que não vim iniciar uma guerra virtual teológica, até mesmo porque eu também me preocupo em perder minha fé e é justamente por ter esse temor que me incomodo com a aparente contradição disso com a eleição incondicional de Deus.

    Responder
  • Sueli disse:

    Graça e paz!!! Que estudo maravilhoso. Passei pelo enfraquecimento da minha fé por assumir várias atividades na igreja e este estudo me faz entender que devemos servir sim, mas da maneira certa, não esquecendo de que temos família, vida pessoal e, principalmente, que nossa vida tem que ser um verdadeiro testemunho de servir a Deus. Que o Senhor continue usando a vida do presbítero André. Obrigada!!!

    Responder

Seu comentário é muito importante! Comente! Regra 1 - Seja respeitoso - Regra 2 - Não aprovamos comentários de anônimos - Regra 3 - Não publicaremos mais comentários que não tenham a ver com o tema do artigo - Obs.: Todos os comentários são moderados antes de serem publicados.