É errado chamar a Ceia do Senhor de Santa Ceia?

Postado por em: #VocêPergunta

Já escrevi alguns artigos explicativos aqui no blog sobre a Ceia do Senhor. Nesses artigos, por diversas vezes, me referi a esse memorial dado à igreja pelo próprio Jesus Cristo e depois mantido pelos seus apóstolos, como “Santa Ceia”. Para minha surpresa recebi alguns comentários me reprovando por usar o termo “Santa Ceia”. Veja três deles:

- “Como sempre, a explicação e explanação estão maravilhosas. Tenho aprendido muito, mas ainda não consigo concordar com o termo Santa Ceia.”

- “O queridão pra começar “Santa ceia” não se encontra esta expressão na Bíblia”

- “O certo é ceia e não Santa Ceia. Quem era santo foi somente Jesus”

Colocados os questionamentos, vejamos se é errado ou não usar o termo “Santa Ceia”:

e-errado-chamar-a-ceia-do-senhor-de-santa-ceia

(1) Em primeiro lugar é preciso dizer que realmente não existe o termo “Santa Ceia” na Bíblia. Normalmente esse memorial ordenado por Jesus era chamado de “ceia” ou “ceia do Senhor” (1 Co 11. 20-21). Também foi chamada em alguns momentos de “partir do pão” (At 2.42).

(2) O fato de não haver a expressão “Santa Ceia” na Bíblia invalida seu uso? Para respondermos a essa pergunta devemos compreender o termo e observar se ele é contrário a alguma verdade bíblica. Algo “santo” no contexto das Escrituras Sagradas é algo “dedicado, consagrado, separado a Deus”. Nesse sentido temos um grande uso da palavra “santo” na Bíblia. Os servos de Deus são chamados de santos; no Antigo Testamento lugares e coisas eram santas ao Senhor, etc. Assim, fica claro que – na Bíblia – o uso correto desse termo não está ligado a idolatria, mas a indicação de que algo ou alguém é dedicado, consagrado, separado a Deus. Nesse sentido, qual seria o problema de usar o adjetivo “santa” para a ceia do Senhor?

(3) O fato de usar o adjetivo “santa” para a ceia do Senhor apenas reforça seu objetivo e propósitos. Não há no uso desse adjetivo quaisquer objetivos de idolatrar os elementos da ceia ou o ritual em si (digo em relação à teologia reformada). Mas, única e exclusivamente, reforçar a importância desse sacramento na vida da igreja como um memorial sagrado ao Senhor e para a edificação da igreja.

(4) Quero salientar também que esse termo foi usado em grandes confissões de fé e, por isso, foi também aprovado por renomados teólogos. Veja, por exemplo, na Confissão de fé de Westminster (1640), capítulo XXVII, dos sacramentos, IV: “Há só dois sacramentos ordenados por Cristo, nosso Senhor, no Evangelho – O Batismo e a Santa Ceia…”. O Catecismo de Heidelberg (1563) também usa a expressão: “Pergunta 68: Quantos sacramentos são instituídos no Novo Testamento?” Resposta: “Dois: O batismo e a Santa Ceia.”. Assim, me causaria espanto que uma diversidade enorme de teólogos tivesse cometido o erro infantil de usar um adjetivo que não cabia ser usado para designar a ceia do Senhor. Fica claro, então, que o termo é perfeitamente condizente.

(5) Dessa forma, colocados os argumentos, creio que o uso da expressão “Santa Ceia” não seja incorreto e contrário ao que a Bíblia diz. Pode ser usado sem problemas para apontar para a ceia do Senhor.

Comente usando seu Facebook ou use o sistema de comentários normal no fim da página

40 comentários

  • Rogerio A Ribeiro disse:

    O que as pessoas não fazem para “validar” um ponto de vista , mesmo não constando na Bíblia eles fazem malabarismos para dizer que errado é o certo , ora se o errado é o certo , o certo será errado, pergunto eu porque não usarmos simplesmente ceia do Senhor?

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Rogério, por que não usar também santa ceia? Aponte os erros, então.

      Responder
      • Raphael Ramos disse:

        Oi gostaria de responder este tópico mas a ceia que vcs estão falando não tem nada a ver com o que o Salvador fez. Nas escrituras são usados simbolismos quando Cristo falava na ceia sobre o pão e vinho estava se referindo a Ele, e por sinal todos já estavam comendo note que a bíblia diz: Mt 26, 26 Enquanto comiam, Ele pegou o pão. Ou seja a ceia verdadeira era realmente um ceia de confraternização e não pão e vinho. Cristo nos ensina o partilhar. Irmãos não há nada físico que possamos fazer pra agradar a Deus, a não ser o amor ao próximo, note a prática do jejum, completamente distorcido pelo catolicismo e seguido pelos evangélicos. Leiam Isaías 58, 6. ou Zacarias 7 5, 6.

        Responder
        • Rogerio Lázaro disse:

          Raphael Ramos, sua interpretação e posicionamento são muitíssimo coerentes! Você simplesmente não foi além do que está escrito. Apenas isso! A grande dificuldade é a cultura já enraizada no meio do povo de DEUS. Já estão acostumados a fazer de um jeito, não porque tenham analisado á luz das Escrituras, mas porque ouviram de alguém que ouviu de alguém que também ouviu de alguém. Na verdade, é o que você disse em relação ao fato dos evangélicos seguirem os católicos. Os evangélicos dizem abominar as práticas católicas, porém não sabem (não sabem mesmo!) que parte daquilo que fazem é herança católica, sem sustentação bíblica e sem efeito prático. Muitas coisas são praticadas pelos evangélicos por tradição. Aliás, seguir a tradição em detrimento da simplicidade do Evangelho é exatamente aquilo que os católicos fazem, porém, estes últimos o fazem de forma aberta e declarada.

          Graça e paz!

          Responder
      • Jonatas disse:

        Caro André Sanchez, em sua argumentação você utiliza princípios católicos, sabemos que a instituição sacramental foi abolida por Jesus, não existe sacramentos ou qualquer tipo de ritualismo no evangelho proclamado pelo Messias, o homem busca meios de se aproximar do Eterno com rituais, sacrifícios, etc, dizendo que estão mostrando fidelidade ao Pai e o Eterno apenas está procurando verdadeiros adoradores que o adorem em espirito e em verdade, leia Isaías 58, repartilhe, ajude o próximo é o que Paulo esta dizendo em 1co11, não fuja do contexto, compare com Lc22, observe o compartilha que Jesus está mostrando e busque ao Deus verdadeiro que nos dá uma oportunidade de redenção através do seu filho, o ungido do Pai.

        Jonatas

        Responder
        • André Sanchez disse:

          Discordo totalmente. Usei textos bíblicos claros. Só não vê quem não quer

          Responder
  • Alexandre Rafael disse:

    Concordo André. E inclusive, com todo respeito aos críticos do termo ” Santa Ceia “, acho o assunto pouco relevante diante de outras questões a serem discutidas, estudadas na Bíblia. Mais Jesus e menos teologia, por favor.

    Responder
  • Rogerio A Ribeiro disse:

    É temerário quando se tem possibilidades de usarmos Sola , usarmos algo de não. É temerário porque muitos começaram assim , trocando uma coisinha aqui, outra acolá e por último estão ajoelhando-se para imagens.

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Rogério, você não apontou erros no uso da expressão, apenas uma preocupação.

      Responder
  • Rogerio Lázaro disse:

    A Ceia em si não é santa. Esse sentido de tornar ou considerar o material como algo sagrado
    ou santo no sentido de separado ao Senhor era algo comumente aplicável e aplicado no
    contexto veterotestamentário. Na Nova Aliança não consigo ver dessa forma. Tanto que, se a Ceia do Senhor tivesse essa conotação de “santa” e se fosse algo realmente contextual,
    estaria expresso literalmente dessa forma. Mas… se é para manter a boa tradição religiosa
    e “as grandes confissões de fé”, que se chame de “Santa”! Aliás, é notório o quão difícil é
    quebrar paradigmas e interromper tradições, principalmente no que concerne à esfera
    religiosa, independente do que esteja expresso na Palavra de Deus…

    *Em tempo: não considero pecado o acréscimo do termo “Santa”, apenas desnecessário,
    injustificado e desproposital (considerando-se a diferença entre Velho e Novo Pacto e
    literalidade textual). Então, que se respeite a opção de usá-lo, caso a pessoa não consiga
    se desprender da tradição religiosa.

    Acima de tudo, magnficado seja o Todo-Poderoso!!!

    Responder
  • Marcelo Pinheiro dos Santos disse:

    Gostei do tema André, e eu acho o seguinte com respeito a todas as opiniões é claro, se o irmão ou a irmã prefere chamar de Ceia do Senhor amém, e se tem outros irmãos que gostam de chamar de Santa Ceia do Senhor. eu me coloco como exemplo, há situações em que estou conversando com um irmão e o irmão me pergunta quando é a Santa Ceia na igreja onde você congrega? E eu já respondi A Ceia é tal dia e vice-versa.
    O meu modo de ver, nós não temos tanto que nos preocuparmos com o modo de falar, mas devemos nos preocuparmos de que forma estamos participando, dignamente ou indignamente. Quero parabenizar o blog André Sanchez e pelos temas que tem abordado. Que Deus abençoe á todos os irmãos em Cristo!!
    Shalon Adonai!!!

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Obrigado, Marcelo. Justamente par evitar discussões a toa resolvi finalizar a questão com esse artigo.

      Responder
  • Alex disse:

    Se usar o termo santa ceia vc esta dizendo que o momento é santo e nois somos santos em Jesus não o momento que é um memorial tambem o crente pode se sentir santificado pelos objetos da ceia pois não esta certo.

    Responder
  • Luh disse:

    Geeeeennnteeemmmm nunca vi brigar por tão pouco… de verdade além de termos uma aula … ainda aprendemos que isso êh irrelevante pois trata-se somente de uma afirmação ao memorial em si.
    De verdade parece que os crentes já não tem mais o que fazer e ao invés de. Ler a bíblia discute questãos tolas que não acrescente ou muda em nada a nossa fé… Miseriqueima neh colegas … Vão caçar o que fazer ao invés de ficar discutindo coisas fúteis …

    Responder
    • Alexandre Rafael disse:

      Enfim uma pessoa sóbria aqui. Parabéns. Mais Jesus, menos Teologia e blá blá blá. Tem vidas precisando da gente lá fora, e estamos sentadinhos na frente no computador tentando estar mais certos do que o nosso irmão do lado. Acorrrrrrda Brasil!!!

      Responder
      • André Sanchez disse:

        Alexandre, permita-me discordar. Estudos fazem parte da vida cristã. Tão é verdade que todos que comentaram aqui vieram ler esse estudo, não é? Estudos não invalidam a importância da evangelização e nem a evangelização invalida os estudos.

        Responder
        • Pedro Oliveira disse:

          Quem acha que o nosso querido irmão André Sanchez (que já chegou a ser inspirado por Deus a postar coisas importantes) mas agora precisa voltar pra uma igreja e se converter de todo o coração ao Senhor, e parar de discussõesinhas futeis bota o dedo aqui: (kkkkk fal sério, eu sou o primeiro). Menos orgulho, mais amor. Menos teologia, mais Deus.

          Responder
          • André Sanchez disse:

            Pedro, você poderia parar então de entrar em meu site para ler essas “discussõesinhas futeis”. Vai caçar o que fazer, cara. Já tô de saco cheio de suas chacotas ridículas aqui no blog. Se continuar com a palhaçada estará bloqueado. Se atenha a argumentos nas matérias. Leitores desse “naipe” não são bem vindos aqui… outra coisa: Se é tão bom, tão “de Deus”, faça um site pra você, quero ver se tem peito…

        • Pedro Oliveira disse:

          André, eu até saio, se me mostrar um só comentário que eu tenha feito que esteja em desacordo com a Palavra de Deus.

          Do contrário, acho que você precisa estar preparado para o confronto de idéias a respeito do Reino, já que seu blog é aberto. Você não é o dono da verdade, mas é responsável por cada palavra que publica.

          Responder
          • André Sanchez disse:

            Pedro, tenho 1400 artigos publicados, amigo. O que não falta em mim é disposição para debater. Agora debater com pessoas como você que usam chacota como argumento ao invés de ideias não dá. É perda de tempo pra mim. Vai procurar outro pra aporrinhar. Só tenho te respondido até agora por educação, como faço com todos por aqui.

    • Valcir Valadão Portela disse:

      Desculpe-me mais o que é certo é certo e o que é errado é errado, biblicamente não podemos aceitar a palavra santa pois o Senhor Jesus nos ensina a ver o memorial como uma lembrança de seu sacrifício e não como algo santo, se assim fosse teríamos que chamar o batismo de santo batismo!

      Responder
      • André Sanchez disse:

        Valcir, o que significa santo na Bíblia?

        Responder
  • Amplíato disse:

    Ora, quanto ao que está enfermo na fé, recebei-o, não em contendas sobre dúvidas.

    Porque um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come legumes.

    O que come não despreze o que não come; e o que não come, não julgue o que come; porque Deus o recebeu por seu.

    Quem és tu, que julgas o servo alheio? Para seu próprio senhor ele está em pé ou cai. Mas estará firme, porque poderoso é Deus para o firmar.

    Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente.

    Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz. O que come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus.

    Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si.

    Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor.

    Porque foi para isto que morreu Cristo, e ressurgiu, e tornou a viver, para ser Senhor, tanto dos mortos, como dos vivos.

    Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo.

    Porque está escrito: Como eu vivo, diz o Senhor, que todo o joelho se dobrará a mim, E toda a língua confessará a Deus.

    De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.

    Assim que não nos julguemos mais uns aos outros; antes seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao irmão.

    Eu sei, e estou certo no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda; para esse é imunda.

    Mas, se por causa da comida se contrista teu irmão, já não andas conforme o amor. Não destruas por causa da tua comida aquele por quem Cristo morreu.

    Não seja, pois, blasfemado o vosso bem;

    Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.

    Porque quem nisto serve a Cristo agradável é a Deus e aceito aos homens.

    Sigamos, pois, as coisas que servem para a paz e para a edificação de uns para com os outros.

    Não destruas por causa da comida a obra de Deus. É verdade que tudo é limpo, mas mal vai para o homem que come com escândalo.

    Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça.

    Tens tu fé? Tem-na em ti mesmo diante de Deus. Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova.

    Mas aquele que tem dúvidas, se come está condenado, porque não come por fé; e tudo o que não é de fé é pecado.

    Romanos 14

    Responder
  • Rogerio Lázaro disse:

    Exatamente isso, Alex!

    Responder
  • Anie… disse:

    descupa mais sempre que entro nesse blog tem alguem aqui descordando do irmao…tudo bem cada um tem sua opinião..mais se o estudo nao ta bom pra vcs…nao entram mais…nao leiam mais simplismente gostria de saber ja que O termo SANTA CEIA OU CEIA DO SENHOR é tão importante pra vcs que saia correto vcs tem realmente se importado com o que nosso Senhor se importa…posso ter certeza que Ele não esta se importando com a forma de expressar mais sim a forma como vivemos…e tenho certeza que Ele nao esta feliz em ver essa coisa de discutir por tao pouco…somos corpo de Cristo e em nosso meio nao pode haver isso…

    Responder
  • Rogerio Lázaro disse:

    1º ponto: Se cada um tem sua opinião, não deveria ser algo tão incômodo em um país democrático e liberdade de expressão, desde que feito com postura respeitosa. Aliás, discordar é (muito!) diferente de desrespeitar. Embora possa haver discordância, ela será de interpretação. Quanto a (qualquer) pessoa o respeito é fundamental e neste blog não se vê nenhum desrespeito a pessoas. Sendo ainda mais abrangente, desrespeito é o ato de não aceitar a manifestação de opiniões divergentes. O próprio dono do blog entendeu isso. Mas… para algumas pessoas isso parece muito profundo para ser alcançado.

    2º ponto: Toda pessoa que ainda não aprendeu a (grande) diferença entre discutir e argumentar não consegue também entender a importância de se trocar experiências através das várias abordagens. Se os crentes da atualidade entendessem isso a Igreja do Senhor seria composta de pessoas maduras na fé. Todos, sem exceção, podem aprender a partir das trocas de experiência e compartilhamento de entendimento. Desde que não haja melindres típicos de crianças que não suportam serem contrariadas. Qualquer observador atento do contexto das escrituras vai perceber que, no decorrer da formação da nação de Israel e da Igreja do Senhor Jesus, nem sempre houve total concordância, em virtude justamente da nossa humanidade. Deus nos ensina de forma prática que na face da Terra não há ninguém incontestável. Até o próprio apóstolo Paulo conclamou a Igreja a julgá-lo! Falta maturidade para muitos irmãos e irmãs deixarem de lado a “síndrome do não-me-toque” e pararem de fazer “beicinho” quando alguém discorda, mesmo que não lhe falte com o respeito!

    Infelizmente esta mesma maturidade que temos visto no irmão André não é muito comum ver na maioria dos nossos queridos irmãos…

    Graça e Paz!

    Responder
  • João Moraes disse:

    Acho que melhor evitar a expressão para não haver o “conflito”, mas tenho a certeza que a expressão SANTA CEIA partiu dos maiorais da igreja católica!!

    Responder
    • André Sanchez disse:

      João, como demonstrei no texto a expressão também está presente em grandes confissões de fé reformadas.

      Responder
  • JOSE ROBERTO disse:

    Acho uma discussão tão tola,seria mais interessante discutir por exemplo quem pode tomar a CEIA DO SENHOR OU SANTA CEIA. qualquer um dos nomes nos remete ao ideal que é o de relembrar a morte do Mestre.

    Responder
  • line disse:

    Realmente eu pense q discutir sobre qual nome usar é bobagem, SANTA CEIA ou CEIA DO SENHOR, em ambos os termos estamos lembrando do Senhor ate q Ele venha e o que verdadeiramente importa é isso.

    Responder
  • Felipe Valim disse:

    Então agora no meu ponto de vista, nós cristãos não temos autoridade nem poder para santificar ninguém, Aliás esse termo é de infuencia do catolicismo, Os santos da igreja, Os Santos Martires. tanto é que la é cheio de santo , ;s
    Veja o que eu penso, vou citar um exemplo:
    vs consagra um instrumento para DEUS, ele não vai deixar de ser instrumento mais vai se rum instrumento separado para Deus, mas ele não vai ser Santo por isso é mesma coisa a Ceia ela por si só não é Santa mais a partir do momento que vs consagra ela, ela continua sendo pão e suco de uva mas porem algo que foi consagrado a Deus para fazermos memoria do unico SANTO que é digno de ser ADORADO E EXALTADO JESUS.

    Lembrando que aceito correções, ninguem é melhor do que ninguem, lembrando que só existe um grande JESUS

    Responder
  • jorge Viegas disse:

    olá André, mateus. 26:39. Jesus diz:meu Pai se é possivel passe de mim este cálice.
    qual era a intenção do pedido de Jesus?

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Jorge, como ser humano naquele momento, Jesus sentiu na pele a dor e a dificuldade de seu sacrifício. Mas conseguiu vencer os maus terríveis temores!

      Responder
  • jose maria mario disse:

    Irmão parabéns! Muito bom este trabalho de esclarecimento.
    No momento não tenho nenhuma duvida, contudo alguns esclarecimentos foram confirmado através das perguntas e respostas dadas aos irmãos. Que Deus Te Abençoe!!!

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Que bom, José, que os estudos estão sendo úteis!

      Responder
  • Alex disse:

    Santa ceia, eis o nome mais correto para definir a ceia do Senhor. Porque: justamente iniciemos a verificar um simples fato: Jesus pegou o pão em Suas mãos, deu graças dizendo aos Seus discípulos:
    “Tomai todos e comei, Este é o meu corpo que será entregue por vós”.
    Do mesmo modo, ao fim da ceia, Ele pegou o cálice em Suas mãos, deu graças e levantou dizendo aos seus discípulos:
    “Este é o meu sangue, o sangue da nova e eterna aliança que será derramado por vós”.
    Durante a Última Ceia, e em referência específica ao tomar o pão e o vinho, Jesus teria dito aos seus discípulos:
    “Façam isso em memória de mim”
    (1 Coríntios 11:23-26).
    “O que come a minha carne e bebe o meu sangue, tem a vida eterna e, eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne é verdadeiramente comida e o meu sangue é verdadeiramente bebida. O que come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. O que come deste pão viverá eternamente” (Jo 6, 55 – 59).
    Sendo assim, não se pode mais dizer simplesmente uma ceia, mas a Santa Ceia, pois Jesus Cristo a tornou digna de Seu Corpo e de Seu Sangue, e em toda missa este gesto se faz como o ponto maior, pois o pão e o vinho deixam de ser simples matéria e passam a ser um corpo místico, o Corpo e o Sangue de Deus consagrados. Aí é que vem o detalhe, se aquela última ceia não é santa, porque o ritual final instituído por Jesus Cristo? Toda a ceia em si não foi simplesmente um ato de encher a pança, mas foi o último encontro de partilha e amor eterno de Jesus para com todos (não para todas as pessoas do mundo, mas para todas as pessoas que o aceitarem e o reconhecerem em suas vidas como Salvador). Será que ninguém percebeu que Jesus fez isto na noite antes de ser crucificado?

    Responder
    • Paulo disse:

      Na bíblia está escrito: “Ceia do Senhor” 1Cor. 11:20 – Santa é “Kadoche” nesse caso não se pode comer.

      Responder
      • André Sanchez disse:

        Paulo, “qodesh” é santo em hebraico. Não tem nada a ver com os textos do Novo Testamento, que foram escritos em grego. Nesse caso, “santo” em grego é “hagios”.

        Responder
  • ALBERTO COSTA disse:

    Engraçado,o termo santa ceia nao pode,mas o eu declaro,eu tomo posse,eu nao aceito entre outras baboseiras gospel pode nos arraiais evangelicos!!!!!Vamos ser mais cristaos,nao julgar o proximo(como tenho visto muito),ajudar o proximoi,praticar a caridade,parar de falar de dinheiro nas igrejas,e nao nos preocuoparmos com coisas pequenas como falar santa ceia ou ceia !!!!!A PAZ A TODOS!!!!!

    Responder
  • Claudiomiro disse:

    Shalon Andre!

    Boa matéria e bem estruturada sua citação, alguns comentários também foram bem validos, Romanos 14 então pra mim é o centro para as divergências em foco aqui, que também são bem vindas.

    Quanto a ser Santa ou apenas Ceia do Senhor, não vejo nenhum problema nenhum dos dois posicionamentos.
    Valendo lembrar que ninguém pode oferecer culto inconscientemente, então essa história de estar fazendo algo ou deixando de fazer sem ciência é questionável.

    Tornar algo santo ou impuro pelo simples simbolo já é algo que historicamente podemos ver que a conta não fecha, senão não teríamos um Judas entre os discípulos e um templo idealizado, elaborado, desenhado e construído no tempo e da forma que Deus ordenou, e além de tudo que demonstrou e coroou de forma singular a santidade daquela imensa obra, não teríamos os tantos episódios que vemos a respeito desta…

    Corrompimento, impurezas, pecado, defraudações, saqueamento, destruição e etc…

    Inicialmente ao santo não significa salvo, pedestal de santidade ou algo que deva ser cultuado ou santifique o que é impuro, então o termo é apenas um termo, e algo é apenas algo… o que está usando é o que faz toda diferença… poderíamos ir longe pensando assim, homens que dentro do templo simplesmente estavam longe da vontade Deus e homens que estavam em terra de outros deuses, porém orando 3 vezes ao dia e etc…

    Mais do que o termo ou o objeto, é necessário que o que é santo seja pelo praticante…

    Chamar de Santo não significa propriamente que seja utilizado santidade para com…

    E não chamar não significa que tira o peso, alivie ou até menospreze a depender de quem e como esta sendo feito…

    Consagrar ou não algo a Deus é algo muito amplo, e poderíamos ir alem como fez o irmão quanto há 1 instrumento musical, mas como percebi que a principal questão em chamar de santo “é o temor em que, quem participa se torne por causa de”… então acho que este é o lado menos embasado, e usar que não está escrito assim e por isso é assim, teríamos outras questões de mesma amplitude e talvez até maiores para saber como ficaria nestes casos…(a própria questão que nunca encontramos o termo suco de uva e sim vinho, porém na sua grande maioria usa-se suco de uva, como fica?)…

    Caminhamos por fé, como foi bem postado reforço Romanos 14, o que come sem fé peca… cada um esteja inteirado em sua fé…

    Respeitar o próximo como irmão em Cristo é por onde começamos, pois aqui só temos irmão de fé querendo o melhor pra Deus, porém quem completa a obra em nós é o Espirito Santo… POR ISSO É EXTREMAMENTE VALIDO A DISCUSSÃO SAUDÁVEL.

    SHALON A TODOS EM CRISTO!

    Responder

Seu comentário é muito importante! Comente! Regra 1 - Seja respeitoso - Regra 2 - Não aprovamos comentários de anônimos - Regra 3 - Não publicaremos mais comentários que não tenham a ver com o tema do artigo - Obs.: Todos os comentários são moderados antes de serem publicados.