O que significa publicano?

Postado por em: O que significa isso?

A palavra publicano aparece na Bíblia nos evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas. Para compreender a aplicação que os evangelistas fazem dessa palavra, precisamos aprofundar um pouco a nossa noção a respeito de quem eram os publicanos e o que faziam.

O que significa publicano?

Não é de hoje que os governos estabelecidos cobram seus impostos com o objetivo de manter a máquina pública funcionando e trazer algum “benefício” à população – ou também manter a corrupção cada vez mais lucrativa. Na época de Jesus Cristo isso acontecia também. O imperador do império Romano mantinha cobradores de impostos em todo seu território, que tinham como meta cobrar a população e remeter o dinheiro ao controle do império.

Os cobradores de impostos judeus a serviço do império Romano eram chamados de publicanos. Em vários textos da Bíblia essas pessoas eram comparadas aos piores tipos de gente: “Porque, se amardes os que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem os publicanos também o mesmo?” (Mateus 5.46). Observe como os publicanos são vistos com negatividade.

Mas por que eles eram tão mal vistos pelos judeus?

Em primeiro lugar, as pessoas os viam como uma espécie de traidores, pois trabalhavam para o império Romano, que as dominava com violência. Em segundo lugar, temos a questão dos impostos abusivos que eram cobrados pelo império, trazendo muitas dificuldades à população e não trazendo benefícios ao povo, antes, apenas enriquecendo cada vez mais o império e seus governantes. Isso revoltava o povo trabalhador. Um último ponto ainda tem a ver com o fato de que a maioria dos publicanos eram corruptos, cobrando além do que era taxado pelo império. Com isso, muitos publicanos enriqueciam explorando seu próprio povo e atraindo o ódio deles para si.

Dois exemplos bastante famosos de publicanos da Bíblia são o apóstolo que é chamado de Levi ou também de Mateus e Zaqueu. São exemplos de publicanos que se converteram diante da mensagem de Jesus Cristo. Zaqueu, por exemplo, arrependido, promete devolver tudo aquilo que tinha roubado: “Entrementes, Zaqueu se levantou e disse ao Senhor: Senhor, resolvo dar aos pobres a metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais.” (Lucas 19.8). Mateus largou o trabalho de cobrador de impostos e seguiu Jesus.

Jesus foi acusado algumas vezes pelos religiosos – enciumados – por estar na presença de publicanos: “E sucedeu que, estando ele em casa, à mesa, muitos publicanos e pecadores vieram e tomaram lugares com Jesus e seus discípulos. Ora, vendo isto, os fariseus perguntavam aos discípulos: Por que come o vosso Mestre com os publicanos e pecadores?” (Mateus 9.10-11)

Comente usando seu Facebook ou use o sistema de comentários normal no fim da página

40 comentários

  • Rosemary Araújo disse:

    André muito obrigada por compartilhar o que tem aprendido com a Palavra de Deus. Muitos necessitam, como eu, aprender mais das coisas do Alto e assim servir melhor ao propósito de Deus através de nossas vidas. Li vários dos seus artigos e eles me ajudaram a ampliar meu conhecimento. Fica na paz do Senhor!

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Obrigado, Rosemary!

      Responder
  • sheila miguel disse:

    Deus abençoe a tua vida a 60 a 70 e 100 vezes tanto…
    é muito conhecimento q ate nao cabe na nha cabeça, shalom Adonai

    Responder
  • Edson disse:

    Graça e paz,,querido irmão, tenho comigo que Zaqueu não era roubador como os demais publicanos, vc acredita que Zaqueu era um usurpador? O fato de ele colocar em investigação sua vida não nos traz a ideia de que ele,apesar de ser chefe dos publicanos poderia ser uma pessoa honesta? Dizer que Zaqueu era ladrão só pelo fato de ser também um cobrador de impostos não nos traz um peso de generalização ? Seria o mesmo que dizer que não existe político honesto e todos os pastores são sugadores. Gostaria de saber sua opinião. Forte abraço.
    Edson

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Edson, o próprio Zaqueu considerou que era quando disse que iria fazer restituição conforme a lei daqueles a quem ele havia defraudado. Se não houvesse roubado ninguém sua fala ficaria sem sentido.

      Responder
      • abnilson marcolino disse:

        Ilustre André, permita-me uma consideração. Zaque não confessou que defraudou. Em Lucas 19.8 diz: “E, se…” ou seja, equivale a “Se por acaso em alguma coisa tenho defraudado”.Ele estava dizendo que, por acaso alguem julgasse ele como defraudador ele estava pronto a reparar esse erro.

        Responder
        • André Sanchez disse:

          Abnilson, seria bem estranho ele se arrependendo diante de Jesus e mencionando isso se isso não fosse uma realidade de sua vida.

          Responder
    • RODRIGO disse:

      ZAQUEU DISSE. E SE EM AGUMA COISA TENHO DEFRAUDADO, RESTITUO 4 VEZES MAIS.

      OBESERVE ( E SE EM ALGUMA COISA ) NÃO É UMA PALAVRA AFIRMATIVA. CONCORDO PLENAMENTE COM VC EDSON.

      Responder
      • André Sanchez disse:

        Rodrigo, no mínimo estranho Zaqueu afirmar isso pra Jesus sem estar devendo nada. Se pesquisarmos a fundo sobre os publicanos veremos como funcionava seu ofício e entenderá melhor meu ponto de vista.

        Responder
        • Anderson. disse:

          Concordo com o seu raciocínio caro André. Haja vista que depois da própria declaração de Zaqueu, o senhor Jesus Cristo disse-lhe: ” Hoje, veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão. Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”. Isto denota que Cristo declarou à ele a salvação, depois de seu arrependimento e confissão. Ele (Zaqueu) era convicto que cristo conhecia todas as suas obras.

          Responder
    • reginaldo disse:

      zaqueu não era ladrão creio pelo fato de ele dizer se nalguma coisa tenho defraudado alguém restituo quatro vezes mais eu acredito que ele cobrava aquilo que era exigido do imperio romano fica na paz meu irmão

      Responder
  • Edson disse:

    Grato

    Responder
  • Edson disse:

    Sim também pensei nessa questão da lei, mas o que me chama a atenção é quando ele fala “e se”,, dá uma conotação de dúvida. Obrigado pela resposta e vou seguir seus estudos, sua linha de raciocínio é
    interessante.,,, forte abraço

    Responder
  • alfredo africo disse:

    Zaqueu não disse que iria devolver, ele é bem claro, se ou caso tenho roubado ou defraudado alguém, até ai nada se prova de que ele roubava, segundo lugar ele diz que resolve, resolve é atitude e não que ele tenha roubado, sendo assim creio que Jesus jamais iria concordar que dinheiro de roubo ou ganhado ilicitamente fosse dado aos pobres, isto traria maldição.

    Responder
  • maria candida disse:

    a paz de jesus meu amado irmão seu comentário e’ de grande proveito para mim estava buscando recursos para uma pregação e encontrei atravez de seus esclarecimentos jesus te abençoe grandemente e continue a te usar sou radialista

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Que bênção, Maria! Deus te fortaleça nesse ministério!

      Responder
  • André Ribeiro disse:

    A paz irmão, tb estou preparando uma pregação sobre Zaqueu e seu artigo colaborou muito. Um forte abraço e que Deus continue contigo.

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Que bênção, André!

      Responder
  • Maria Silva disse:

    Paz irmão André, sou muito curiosa e gosto de aprender seus ensinamento são valiosos, sou grata a Deus por sua vida.

    Responder
  • wesley valestre disse:

    a Paz Do Senhor Meu Amado, Com Relação A Dúvida Dos Irmãos Se Ele Era Ladrão Ou Não, Tem Uma Frase Que Reforça A Tese De Que Era, Quando Diz Que Era Rico.

    Responder
  • Edson disse:

    A paz em relaçao a ísso se ele era ou nao cabe nós olharmos a intencaõ dele essa foi a maravilha dele se preoculpar em estabelecer algo a alguem que ele causou dano. Se ele roubava, não rouba mais; ele encotrou Jesus. Pra tirar a duvida Jesus esta vivo e temos o Esp.Sto o qual a palavra de Deus diz que ele nos esclarece tudo e nao nos deixa confundido. A paz meus irmaos.

    Responder
  • Alexandre batista sales disse:

    IRMÃO ANDRÉ PAZ. QUAL A DIFERENÇA ENTRE COBRADOR DE IMPOSTOS E PUBLICANOS, POIS JÁ OUVI FALAREM QUE TEÓLOGOS COMO MERRIL E CHAMPLIM DISCORDAM QUE SÃO A MESMA CATEGORIA.

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Alexandre, meu conhecimento é bem pequeno perto do Merril ou do Champlim, mas enxergo que na maioria dos textos bíblicos são expressões sinônimas.

      Responder
  • luiz roberto disse:

    Falar que zaqueu era ladrão é acrescentar ao texto, que em momento algum diz tal coisa. vamos prestar mais atenção no texto.

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Luiz, do que ele teria se arrependido diante de Jesus? E por que ele sugeriu o que a lei mosaica dizia como restituição de roubo?

      Responder
  • Rute Nascimento disse:

    Rute Nascimento:
    A paz de Cristo amado!
    Acho que essa questão de ser ou não ser ladrão fica a cargo de cada interpretação. Pra mim o importante é: Zaqueu se esforçou para conhecer Jesus e ele nem sabia que Jesus já o tinha visto antes de subir na árvore. Deixe estas questões de lado e suba pra conhecer mais o seu mestre.
    Fiquem na Paz que é Jesus, amém?

    Responder
  • valdir disse:

    se zaquel era ladrao o testo nao diz mas quem eramos antes de conheser Jesus?

    Responder
  • Andre Ferreira disse:

    mim desculpe irmão, mas ::Muitos de forma errônea ensinam que Zaqueu o publicano (cobrador de impostos) era ladrão e defraudador (sinônimos: falsificação e usurpação). Porém em momento algum a bíblia afirma que ele era ladrão. Analisando Lucas 19:8 “Zaqueu, porém, levantando-se, disse ao Senhor: Eis aqui, Senhor, dou aos pobres metade dos meus bens; e se em alguma coisa tenho defraudado alguém, eu lho restituo quadruplicado.”
    Analisando minuciosamente vemos que:
    1 – Verificando o tempo verbal da palavra “dou”, significa que ele já o fazia, ele ajudava a população. Se estive-se “irei dar” ou “começarei a dar”, iria significar que não o fazia e estava arrependido por algum motivo para começar a fazer.
    2 – Ele afirma que “se”, a palavra “se” significa uma condição, a palavra “se” aparece 1,670 vezes na versão King James. Nessa caso é a chamada condição necessária , ex: Se estiver Sol, vou à praia. Parece puro e simplesmente absurdo declarar que, uma condição necessária para fazer Sol é a pessoa que profere estar na praia, ou seja, não é uma condição necessária ser um publicano e ser ladrão ou defraudador.
    3 – Quando ele afirma “restituo quadruplicado” estava firme e seguro sobre sua posição em relação de não ter praticado tal ato julgado pelo povo judeu. Neste versículo fica claro que ele conhecia as Escrituras, pois sabia que do ladrão era exigido que cumprisse uma penalidade externa imposta pela lei, ou seja, que fizesse a restituição quadruplicada a quem defraudava, reparando assim o que havia sido roubado, como esta em Êxodo 22:1.
    Publicano era uma pessoa que tinha a responsabilidade de cobrar os impostos para o Império Romano. Zaqueu é chamado de “chefe dos publicanos”, o que indica que tinha outros sob sua supervisão (Lucas 19:2) era um superintendente. A palavra grega que se usa é “telones”, porém o termo publicano tem uma raiz na história de Roma onde era aplicado aos cobradores de impostos, por isso se utiliza esta tradução.
    Os publicanos eram, como todos os demais cobradores de impostos, sumamente (ou extremamente) odiados. Sempre carregaram a triste fama de que cobravam acima do devido para beneficiar-se, pelo qual João Batista os admoesta: “Não exijam mais do que esta ordenado” (Lucas 3:12-13). Em adição a essa particularidade estava o fato de que os judeus os consideravam fora do padrão religioso, com muito contato com gentios e traidores da nação, por estas razões eram extremamente menosprezados socialmente. Era também menosprezado pelo Romanos, pelo fato deles serem Judeus.
    Zaqueu teve oportunidade adicional, primeiro por ser o chefe de todos os cobradores de impostos e pelo fato que, na época, Jericó produzia e exportava uma quantidade considerável de bálsamo, foi sem duvida, um imposto importante, os impostos aplicado na agricultura, também ajudou. No entanto, sua mente não estava inteiramente absorvido por considerações materiais, pois ele se juntou à multidão que se reuniu para ver Jesus na sua entrada na cidade.
    O Senhor Jesus contraria todas estas concepções e quebra paradigmas ao se ajuntar com estes publicanos, sendo chamado pejorativamente de o “amigo de publicanos e pecadores” (Mt 11.19). Muitos deles se converteram (Mt 21.31; Lc 7.29), entre os mais famosos, Mateus (Mt 10.3; Lc 5.27) e Zaqueu. A conotação negativa do termo publicano pode ser vista, ademais, no fato de aos publicanos era vedado o direito de adentrar ao Templo e mesmo na Sinagoga e eram pessoas com as quais não se deveria ter comunhão (Mt 18.17). Jesus colocou um publicano para ser um dos 12 Apóstolos. Mateus, um publicano cobrador de impostos para o governo Romano e considerado pelos judeus um traidor da nação, mas que foi chamado por Jesus para compor seu núcleo mais intimo de discípulos.
    Nas enciclopédias bíblicas internacionais, não menciona em momento algum que Zaqueu era ladrão. A Bíblia não autoriza afirmarmos, como alguns o fazem, que Zaqueu era ladrão. Quem afirma isso, torce o texto bíblico. O mundo não nos isenta de seus julgamentos, reclamam, murmuram, comentam, falam mal, criticam, mas não era desse jeito que Jesus viu Zaqueu.

    Responder
  • Francisco Bento da Silva disse:

    Gosto muito de ler a Bíblia e as vezes encontro palavras que não sei o significado. Então eu paro a leitura e busco o significado de palavras tipo: opróbio, chocarrice, temulento,parvoices etc. Dessa vez ao ler a parábola do fariseu (essa palavra acho fácil porque fariseus existem aos montes hoje em dia) e do publicano eu tinha apenas uma pequena noção a respeito de publicano, mas, agora com sua excelente explicação as dúvidas se dissiparam e também achei o texto bem descomplicado. Obrigado, André Sanchez!

    Responder
  • andre2013 disse:

    obrigado por me ajudar a entender um pouco mais sobre os publicanos! Deus te abençoe.

    Responder
  • MARCIO MELO disse:

    Se ele era OU NÃO ladrão EU NÃO SEI!,a verdade e que houve salvação para aquele pecador!

    Responder
  • Ademar Gama disse:

    A paz do SENHOR a todos! Infelizmente, que as pessoas estão propensas a crer mais na mentira do que na verdade. Por quê a maioria crer que Zaqueu era ladrão, e não prefere antes crer que ele era honesto. Simplesmente porque era publicano. Prefiro acreditar que ele era homem íntegro. A sua expresão é cabal “SE”. Se eu falei, se eu comprei, se eu disse, se roubei. Demonstra claramente para qualquer um que queira entender a luz da bíblia.
    Fiquem com Deus!

    Ademar Gama/Solânea-PB

    Responder
  • Saulo jose ribeiro disse:

    irmãos, a PAZ de jesus reine em cada coração, na questão,ZAQUEU ,entendo que cristo ao chamalo pelo nome mostrou a ele que ja havia visto o seu desejo de conhecelo ,isto prova a oniciencia de CRISTO.se perstamos atenção no texto,(defraudar alguem,ele estava diante do homem que acabara de chama lo pelo nome ,teria ZAQUEU corajem de mentir para aquele homem),como poderia alguem mentir para o proprio DEUS.( se nalguma coisa tenho defraudado alguem:) JESUS teria repreendido ZAQUEU na hora. se lermos exodos 22 veremos que ZAQUEU era conhecedor da BIBLIA ele conhecia o que DEUS tinha determinado a alguem que defraudasse, com isso para mim ele estava cançado de ser caluniado, somente em CRISTO ele encontrou um grande alivio que a PAZ de CRISTO reine em cada coração.

    Responder
  • edilma cacia disse:

    creio que o que , quando zaqueu , fala se caso tenho defraudado auguem? é tipo assim . se alguem me provar que eu roubei , vou restituir numa boa. qual de nos seres humanos podemos falar que nunca defraudamos alguem? entao para nos nao torcermos, a palavra de Deus siga esta linha de raciocinio! . …………………………….. voce sempre devolvel o amor a seu proximo como a ti mesmo ?……………………………………….devolve sempre o seus dizimos e ofertas com exatidao?…………………………………………e etc… entao pregue com inteligencia , entendimento povo de Deus.abrços a todos vcs.

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Edilma, como assim, não entendi: “Se alguém provar que roubei”. Se Zaqueu roubou não precisa de alguém provar para ele, já que ele sabe isso em seu coração.

      Responder
  • pontes disse:

    bom dia, em se tratando só de estudo e não no mérito da fé, postarei o seguinte: zaqueu era rico e dono de patrimônios, um rico sendo empregado, se ele vinha dando a metade de seus bens aos pobre, ” tão bonzinho “, ia ficar sem nada, ou já estaria sem nada, por que haja pobre. qual o termo que se usa para identificar um ladrão. usar explicitamente a palavra ladrão não é preciso.

    Responder
  • marcia aciolly disse:

    Oi, as pessoas ficam descutindo se Zaquel era ou nao ladrao isso pouco importa. O que importa e que ele se arrependeu e se ele nao tivesse se arrependido de verdade Jesus nao o teria perdoado, o se nhor conhece o coracao sincero e verdadeiro. Fiquem na paz.

    Responder
  • Damaris disse:

    Oi André , boa tarde…estou fazendo alguns estudos sobre Zaqueu , na realidade preparando uma pregação, e gostaria de tirar algumas dúvidas…os publicanos, eles eram escolhidos pelo império romano ou eles mesmos que escolhiam trabalhar para Roma?..Desde já agradeço!

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Damaris, acredito que seja por vontade própria deles, como se fosse um concurso público para trabalhar para o estado

      Responder
  • glauciane f eiris disse:

    Irmão André,como pedi a Deus que me desse um caminho para melhor entender a bíblia!!,e sem esperar fui abençoada com o seu blog em meu e-mail,são coisas que só o Senhor tem resposta!! Mesmo assim,gostaria que avalia-se o meu entendimento sobre essa passagem. Pelo que acho compreensivo,quando no início dessa passagem a uma menção “Entrementes..”;entendo que o Senhor Jesus conhecia o real pensamento e arrependimento de Zaqueu,assim como o próprio Zaqueu era conhecedor dos seus danos causados e que os não podia negar. E tbm quando diz:” …e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém,…”;veja que essa expressão vem entre virgulas, e a vogal e vem anterior a vírgula!! O que entendo, é que ele estava se colocando a disposição do Senhor e réu confessor dos seus erros e que se o Senhor quisesse que ele reparasse algum dano,mesmo que esquecido ele pagaria 4 vezes mais sem questionar,por que fraudar é tbm usar de um inocente para tirar proveito!!
    Tenho lido sempre que posso os seus artigos e como tenho encontrado caminho para o entendimento. DEUS o nosso Pai abençoe o seu ministério, como abençoou ao dos nossos irmãos pregadores do Evangelho do passado,que sempre tinham bastante prudência no que pregavam!! . A PAZ DE DEUS!

    Responder

Seu comentário é muito importante! Comente! Regra 1 - Seja respeitoso. Regra 2- Não aprovamos comentários de anônimos. Obs.: Todos os comentários são moderados antes de serem publicados.