- Esboçando Ideias - https://www.esbocandoideias.com -

Por que em Gênesis 44:5 diz que José do Egito usava sua taça de prata para adivinhar se isso é pecado?

Você pergunta: Na história de José do Egito existe um verso que me deixa intrigado. Em Gênesis 44:5 fala que José usava uma taça de prata para adivinhar. E em Gênesis 44:15 ele fala que é um homem capaz de adivinhar. Mas isso não era pecado? A adivinhação não era algo que desagradava a Deus? Como José poderia ter uma atitude dessa e mesmo assim ser abençoado?

Caro leitor, sua observação foi interessante e nos ajudará a trazer mais um estudo importante a respeito da análise de contextos para que não tiremos conclusões erradas de um texto.

José do Egito usava uma taça de prata para fazer adivinhações?

José do Egito usava uma taça de prata para fazer adivinhações?

(1) Observamos na história de José que ele, após interpretar os sonhos de Faraó [1] e ser feito governador do Egito (Gênesis 41), na sequência, depois de algum tempo, de forma inesperada, recebe a visita de seus irmãos, que descem ao Egito por causa da fome na terra (Gênesis 42). Aqui começa uma estratégia de José para, além de alimentá-los, trazer também seu pai e seu irmão Benjamim para o Egito. Para isso José não se revela inicialmente a eles, mostra grande benevolência, mas arma um plano para que eles fossem acusados de roubo (Gênesis 44).

Veja também:
- Conheça Sua Bíblia de Capa a Capa (Comece aqui) [2]
- Teologia sem mensalidades (Comece aqui) [3]
- Formação de Professores Para o Ministério Infantil (Comece aqui) [4]
- Memorização Fácil da Bíblia (Comece aqui) [5]
- Método Como Ler a Bíblia E Entendê-la Mais Facilmente (Comece aqui) [6]
- Outros Materiais (Comece aqui) [7]

(2) No texto observamos qual foi a ordem de José para a encenação: “Deu José esta ordem ao mordomo de sua casa: Enche de mantimento os sacos que estes homens trouxeram, quanto puderem levar, e põe o dinheiro de cada um na boca do saco de mantimento. O meu copo de prata pô-lo-ás na boca do saco de mantimento do mais novo, com o dinheiro do seu cereal. E assim se fez segundo José dissera” (Gênesis 44:1-2). José continua a ordem para a encenação, dando detalhes de como o mordomo deveria fazer quando encontrasse seus irmãos já no caminho de volta para casa: “Tendo saído eles da cidade, não se havendo ainda distanciado, disse José ao mordomo de sua casa: Levanta-te e segue após esses homens; e, alcançando-os, lhes dirás: Por que pagastes mal por bem? Não é este o copo em que bebe meu senhor? E por meio do qual faz as suas adivinhações? Procedestes mal no que fizestes” (Gênesis 44:4-5).

(3) Será que esses versos provam que José usava uma taça de prata para fazer adivinhações? Evidente que não! Explico porquê: O que temos nesse texto é claramente a montagem de uma trama fictícia com todos os elementos que deveriam existir para que ela funcionasse, para que atingisse o objetivo, que era os irmãos de José serem apontados como ladrões. José deveria parecer realmente um governante egípcio em todos os detalhes e práticas. E no Egito era muito comum esse tipo de “adivinhação” usando objetos e também os governantes se “acharem” semideuses! De nenhuma forma isso aponta para José tendo aceitado em sua vida esse costume que não agradava a Deus. Mas como podemos ter tanta certeza disso?

(4) O fato é que nas narrativas de Gênesis não temos qualquer menção de José do Egito usando taça de prata para receber qualquer revelação de Deus ou fazer “adivinhações”. Quando interpretou o sonho de Faraó, por exemplo, José deixou claro que era algo que vinha de Deus: “Respondeu-lhe José: Não está isso em mim; mas Deus dará resposta favorável a Faraó” (Gênesis 41:16). Portanto, podemos concluir com clareza que todos os elementos incluídos na história referentes a adivinhação e ao copo de prata eram elementos para compor a trama feita para que os irmãos de José parecessem ladrões e não detalhes de quem realmente era José de fato, ou seja, um judeu temente a Deus [8], que não adorava os deuses egípcios e nem suas práticas incorretas diante de Deus.