- Esboçando Ideias - https://www.esbocandoideias.com -

Se Deus multiplicou as dores do parto de Eva é porque ela já havia tido filhos?

Você Pergunta: Em Gênesis 3:16 Deus pune a mulher após o pecado dizendo a ela que multiplicaria os sofrimentos da gravidez. Penso que só se pode multiplicar algo que já exista, então, isso pode significar que Eva teve filhos antes da queda? Como Deus poderia multiplicar os sofrimentos se eles não existissem? Toda multiplicação por zero sempre vai dar zero.

Caro leitor, sua pergunta é muito interessante. Vamos analisar alguns detalhes do texto e interpretá-los para chegarmos a nossa conclusão.

Se Deus multiplicou as dores do parto de Eva é porque ela já havia tido filhos?

Eva já havia sentido as dores do parto antes da queda?

(1) Parece uma conclusão até óbvia pensarmos que se Deus disse que iria multiplicar os sofrimentos da gravidez, então, Eva já havia experimentado o sofrimento de uma gravidez [1]. Mas será que é bem assim? Vejamos primeiramente o texto em questão: “E à mulher disse: Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu desejo será para o teu marido, e ele te governará” (Gênesis 3:16). Todo texto deve sempre ser interpretado à luz de seu contexto [2]. No contexto em questão não temos em nenhum momento a menção de filhos de Adão e Eva antes da queda. Apenas após a queda é que temos a menção do nascimento do primeiro filho (Gênesis 4). Por qual motivo a Bíblia iria omitir o nome do primeiro filho se realmente eles tivessem tido um filho antes da queda? Não faz sentido, concorda?

Como explicar o “multiplicarei” que Deus disse?

(2) Quando Deus diz “multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez” não está aqui fazendo uma operação matemática, pois sabemos que na matemática zero multiplicado por zero dá zero. Antes, o que temos aqui é Deus estabelecendo uma penalidade. Deus está, ao mesmo tempo em que informa a penalidade, mostrando que se Eva tivesse permanecido no estado de obediência teria muito menos dores em sua vida. A ideia do texto é demonstrar o aumento dessa dor (punição) que anteriormente era pequeno ou inexistente. Não temos aqui uma necessidade de Eva ter passado pela experiência de dar à luz para que soubesse que a partir daquele momento seria mais difícil. Era uma constatação informada e baseada no que Deus disse, portanto, era a verdade.

(3) Eva não teve a experiência de dar à luz filhos antes da queda, mas a realidade (possibilidade) de dar à luz antes do pecado já existia, pois Deus havia dado a homem e mulher a capacidade de procriar (Gênesis 1:28). Mas essa capacidade ainda não havia sido exercida por Eva. Portanto, Deus muda essa realidade (de procriar e dar à luz filhos), já existente, para uma realidade mais dolorosa a partir daquele momento.

(4) Além, disso, existem muitos que questionam como seria possível que Eva não engravidasse antes da queda se ela e Adão tinham a possibilidade de uma vida sexual ativa naquele momento. Parece algo impossível! A isso levanto algumas questões:

(a) Não sabemos quanto tempo se passou entre a criação de homem e mulher e a queda. Seria tempo suficiente para que ambos compreendessem plenamente a sexualidade e a exercessem com o objetivo de ter filhos? Não sabemos!

(b) Temos que ter em mente que o primeiro homem e a primeira mulher tiveram de início um período de compreensão do próprio corpo, do funcionamento dele e do objetivo de cada parte. Isso nos leva a pensar que não seria tão simples assim já saírem fazendo sexo e engravidando.

(c) Você já parou para pensar como deve ter sido a primeira menstruação de Eva? Como foi encarar isso? Entender para que servia aquilo? O que era todo aquele sangue? E para Adão, quanto tempo teria passado para compreender como era uma relação sexual ideal e que pudesse gerar filhos? Enfim, todos esses detalhes que mais tarde foram compreendidos com mais exatidão?

Todas essas são questões que nos levam a pensar que o exercício da sexualidade plena de Adão e Eva não foi algo que teria acontecido tão rápido assim. Certamente houve muito tempo para compreensão sobre isso, o que se encaixa perfeitamente com o fato de não ter havido gravidez de Eva antes da queda.