- Esboçando Ideias - https://www.esbocandoideias.com -

Em Provérbios a Bíblia manda quem sofre se embriagar para esquecer o sofrimento?

Você pergunta: Sempre cri que a Bíblia proibia a embriaguez. Mas esses dias lendo um texto de Provérbios 31:6-7 percebi que ali existe uma orientação para que se dê bebida forte a quem sofre para que essas pessoas esqueçam o sofrimento. Não entendi bem esse texto. Estaria a Bíblia apoiando que aqueles que sofrem possam se embriagar para esquecer seus sofrimentos? Pode me ajudar a entender esse texto?

Cara leitora, bem interessante sua observação sobre esse texto. Vamos entendê-lo para que não haja confusão sobre o que a Bíblia ensina e o que a Bíblia não ensina.

Em Provérbios a Bíblia manda quem sofre se embriagar para esquecer o sofrimento?

A Bíblia aprova a embriaguez em Provérbios 31:-6-7?

(1) Vários textos bíblicos falam contra a embriaguez. Vejamos este: “E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito” (Efésios 5:18). Além desse texto claro, temos outros que falam também contra a embriaguez e as bebedices, ou seja, o uso excessivo do álcool [1], como Gálatas 5:21, 1 Pedro 4:3, etc. Ou seja, é bem claro que Deus não se agrada das bebedices e da embriaguez.

Veja também:
- Conheça Sua Bíblia de Capa a Capa (Comece aqui) [2]
- Teologia sem mensalidades (Comece aqui) [3]
- Formação de Professores Para o Ministério Infantil (Comece aqui) [4]
- Memorização Fácil da Bíblia (Comece aqui) [5]
- Método Como Ler a Bíblia E Entendê-la Mais Facilmente (Comece aqui) [6]
- Outros Materiais (Comece aqui) [7]

(2) O texto que você citou diz o seguinte: “Dai bebida forte aos que perecem e vinho, aos amargurados de espírito; para que bebam, e se esqueçam da sua pobreza, e de suas fadigas não se lembrem mais” (Provérbios 31:6-7). Numa primeira olhada realmente parece que esse texto se trata de uma ordem “dai” para que as pessoas mais pobres, amarguradas, sejam embriagadas para esquecer a sua condição difícil de vida. Mas esta conclusão é errada.

(3) Esse texto está inserido em uma série de conselhos dados ao rei Lemuel pela sua mãe (Provérbios 31:1). Dentre esses conselhos nos chama a atenção exatamente o conselho para não se embriagar: “Não é próprio dos reis, ó Lemuel, não é próprio dos reis beber vinho, nem dos príncipes desejar bebida forte. Para que não bebam, e se esqueçam da lei, e pervertam o direito de todos os aflitos” (Provérbios 31:4).

(4) O que se segue é a palavra de Provérbios 31:6-7. Esse conselho dessa mãe geralmente é entendido como uma fala sarcástica. Ou seja, a mãe do rei Lemuel está trazendo ao filho justamente a ideia de que a embriaguez não é a solução, ou é uma solução falsa, já que uma pessoa embriagada piora ainda mais a sua pobreza e amargura, já que não consegue enfrentar os desafios com a cabeça erguida e muito menos esquece sua condição difícil. O sarcasmo é usado como ironia para criticar quem lida com a causa dos pobres dessa forma, tornando as pessoas ainda mais miseráveis.

(5) No verso seguinte a mãe do rei Lemuel traz o que deveria ser feito efetivamente em favor dos pobres e amargurados: “Abre a boca a favor do mudo, pelo direito de todos os que se acham desamparados. Abre a boca, julga retamente e faze justiça aos pobres e aos necessitados” (Provérbios 31:8-9). A solução não era dar bebida (o que seria uma espécie de maquiagem do problema), antes, a solução era enfrentar o problema da corrupção na raiz, com atitudes concretas.

(6) Sendo assim, esse texto de Provérbios não deve ser entendido como sendo uma aprovação ao uso excessivo de bebida alcoólica. Pelo contrário, a Bíblia é a favor da lucidez para resolver os problemas mais difíceis da vida e não do álcool como uma via para esquecer momentaneamente as questões que nos afligem.