- Esboçando Ideias - https://www.esbocandoideias.com -

Deus tem ciúmes de mim? Deus sente ciúmes?

Você pergunta: Dia desses ouvi na igreja uma música do Ministério Livres Para Adorar, que se chama “Ele me ama”. Essa música começa com uma frase que achei meio estranha: “Ele tem ciúmes de mim…”. Na Bíblia diz que o ciúme é pecado. Então, como Deus pode ter ciúmes se é pecado? Deus tem ciúme de mim? Como você pode me explicar isso biblicamente?

Cara leitora, bem interessante a sua pergunta. Na minha explicação vou me ater apenas à explicação da sua pergunta principal com relação a se Deus tem ciúmes. Não irei analisar a letra da música desse grupo de louvor porque não vem ao caso nesse momento.

Deus tem ciúmes de mim? Deus sente ciúmes? [1]

(1) Analisando a Bíblia vemos que existe sim menção de que Deus tem ciúmes; observe o texto de Ezequiel 8.3: “Estendeu ela dali uma semelhança de mão e me tomou pelos cachos da cabeça; o Espírito me levantou entre a terra e o céu e me levou a Jerusalém em visões de Deus, até à entrada da porta do pátio de dentro, que olha para o norte, onde estava colocada a imagem dos ciúmes, que provoca o ciúme de Deus.”. Nessa ocasião o Espírito mostra ao profeta Ezequiel a idolatria em que o povo de Deus estava vivendo, distantes dos caminhos Dele. E vemos claramente que havia certa imagem, que em especial, provocava esse ciúme em Deus.

(2) Porém, precisamos avaliar corretamente a forma ou o tipo desse “ciúme” que Deus tem. Estamos acostumados com a definição do que é o ciúme humano, que é definido pelo dicionário Priberam online como “1. Receio ou despeito de certos afetos alheios não serem exclusivamente para nós. 2. Inveja. 3. Receio.”. Nesse sentido o ciúme humano é algo doentio, que desequilibra mental e espiritualmente o ser humano e, muitas vezes, o leva a atitudes descabidas baseado nesse sentimento egoísta. Esse tipo de ciúme é chamado na Bíblia de obra da carne e não deve estar na vida do crente: “Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, …” (Gl 5.19-20 )

(3) Já esse ciúme atribuído a Deus em alguns versos da Bíblia, é algo bem diferente do ciúme humano pecaminoso, é algo como o “lado bom do ciúme”. Poderíamos compreender melhor esse significado usando o sinônimo “zelo”. Deus é zeloso pelo Seu povo e também pela Sua própria glória. Um dos dez mandamentos dados por Deus fala sobre isso: “Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem” (Ex 20. 5).

(4) De nenhuma forma Deus demonstra nas Escrituras Sagradas um ciúme desequilibrado e que possa ser comparável ao ciúme humano. Ele é o Criador de todas as coisas, o Soberano, por isso, Seu zelo (ciúme) exige que Suas criaturas andem de acordo com Sua vontade. Esse zelo de Deus é uma proteção aos Seus filhos amados, que Ele não deseja que se percam e andem em caminhos contrários à Sua palavra. Não vemos na Bíblia menção de Deus tendo ciúmes por qualquer coisa sem sentido. A menção desse ciúme de Deus sempre está no contexto de quando o povo abandona o Senhor e segue outros deuses, causando justa indignação do Senhor. Deus é claro quanto a isso: “Eu sou o SENHOR, este é o meu nome; a minha glória, pois, não a darei a outrem, nem a minha honra, às imagens de escultura.” (Is 42. 8). Esse é o ciúme de Deus mencionado na Bíblia.

(5) Vemos também registrado na Bíblia, por exemplo, em Ezequiel 16.42 o ciúme de Deus como sinônimo da aplicação da sua ira contra os pecadores contumazes: “Desse modo, satisfarei em ti o meu furor, os meus ciúmes se apartarão de ti, aquietar-me-ei e jamais me indignarei”.

(6) Assim, fica claro que não existe qualquer relação entre o ciúme atribuído a Deus, totalmente legítimo, e o ciúme que vemos presente no ser humano, descontrolado, que a Bíblia chama de obra da carne.