- Esboçando Ideias - https://www.esbocandoideias.com -

Série virtudes: Um trono com o meu nome escrito

Série virtudes (Por André Sanchez)

egoísmo, eu no trono, sábio aos próprios olhos [1]

“não sejais sábios aos vossos próprios olhos.” (Rm 12:16)

Creio que um dos territórios em que mais temos liberdade para nos expressarmos seja a nossa mente. Lá ninguém vê o que falamos, o que achamos, o que visualizamos, os nossos conceitos e preconceitos. Lá nos sentimos livres para fazer o que quisermos. Infelizmente esse território também foi afetado pelo pecado. Lá dentro de nossa mente podemos ser terríveis assassinos, enquanto fingimos muito bem aqui fora que somos anjinhos.

Jesus, quando tratava sobre o adultério, contrariando aqueles que achavam que suas mentes eram um território livre e sem lei, disse que somente no olhar para uma mulher com intenção impura no coração o homem já havia cometido adultério com ela. (Mt 5. 28)

Veja também:
- Conheça Sua Bíblia de Capa a Capa (Comece aqui) [2]
- Teologia sem mensalidades (Comece aqui) [3]
- Formação de Professores Para o Ministério Infantil (Comece aqui) [4]
- Memorização Fácil da Bíblia (Comece aqui) [5]
- Método Como Ler a Bíblia E Entendê-la Mais Facilmente (Comece aqui) [6]
- Outros Materiais (Comece aqui) [7]

É na mente que tudo começa, e de onde tudo se espalha. É na mente que damos o pontapé inicial às nossas atitudes. O texto que lemos no início fala de uma pessoa altiva e cheia de um orgulho destrutivo, o que a Bíblia chama de ser sábio aos próprios olhos. Essa pessoa nutre dentro de si um conceito elevado de si mesmo, enquanto coloca as outras pessoas num nível abaixo de seus pés. Tudo, inicialmente, em nível mental.

Da mesma forma que o olhar com intenção impura para uma mulher já caracteriza o erro, outras atitudes já se tornaram erros se já foram concebidas na mente. A exteriorização é uma conseqüência do que está dentro. Se nos achamos mais nobres que alguém, é dentro da mente que esse pecado nasceu e mora.

Existe uma multidão de pessoas que tem dentro de si a altivez e o orgulho destrutivo, e nem um pouco de humildade. O desejo de Deus é que haja dentro de cada um de nós um equilíbrio naquilo que pensamos a respeito de nós e a respeito dos outros.

Não ser sábio aos próprios olhos é uma virtude que nos levará a não permitir que dentro de nossa mente se forme algum trono escrito o nosso nome. Cultivar uma mente saudável vai nos fazer descer dos tijolinhos que colocamos sob os nossos pés, com o intuito de parecermos melhores e mais nobres.

Vale relembrar que Aquele que tem todo o poder, Jesus Cristo, não permitiu que houvesse dentro de si um conceito sobre si mesmo que o levasse a menosprezar os outros, pelo contrário, foi Ele que lavou os pés sujos dos seus discípulos cheios de defeitos, e até hoje, não vi outro deus ou outro mestre que tenha feito isso, sendo tão grande e ao mesmo tempo tão humilde. Façamos como Ele!