- Esboçando Ideias - https://www.esbocandoideias.com -

Que raiva! Eu não quero esperar!

Por André Sanchez

paciência, espera, raiva, correria [1]

Hoje pela manhã tive que levar meu carro para uma revisão na suspensão, pois já há alguns dias vários barulhos vem me incomodando. Com um espírito super otimista, acordei cedo e fui até a oficina. Minha esperança era chegar bem cedo e sair rapidamente dali para curtir a minha folga. Mas logo meu mecânico me deu a notícia: Vai demorar umas duas horas e meia para arrumar os defeitos!

Quase me faltou o ar naquele momento. Eu não queria esperar! Queria que fosse rápido, do jeito que pensei, que idealizei, que planejei! Infelizmente meus sentimentos não mudariam a situação. O jeito era esperar. O pior de tudo foi saber, pouco tempo depois, que havia sido achado outro defeito que acrescentaria mais uma hora e meia à espera. Diante daquilo fiquei ruminando a situação, meus sentimentos, minha raiva, minha decepção, a ponto de brigar comigo mesmo e meus pensamentos ficarem insuportáveis de tão chatos.

Creio que agimos assim também com relação a Deus. Temos pouca paciência e pouco desejo de esperar o tempo certo, o tempo Dele. Enchemos o nosso coração com as nossas expectativas e queremos que tudo se molde a elas. A mínima decepção já é capaz de nos fazer explodir por dentro [e por fora].

No entanto, logo a realidade vem à tona: as coisas não acontecem somente como nós escrevemos e sim como o Soberano Deus escreve. No tempo certo, da forma certa, o melhor para nós.

Passando por algum momento de estresse e de dificuldade, o salmista questiona o seu próprio coração: “Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu.” (Salmos 42:11)

Certamente a perturbação faz parte da nossa vida. Mas por que mantê-la? Por que deixar que ela domine? Por que não relaxar, esperar em Deus e curtir as cores vibrantes da vida? Por que deixar que a perturbação, a tristeza e o desgosto nos tirem preciosos minutos de nossa vida abundante?

Felizmente a minha perturbação, a minha decepção e a minha raiva foram contidas a tempo. Por que me estressar com isso? Por que deixar a perturbação apagar as cores do meu dia? Foi então que estufei o peito, me levantei e caminhei até a casa da minha avó. Lá tivemos algumas horas de boas e deliciosas conversas. Quase me esqueci da hora de buscar meu carro!

Meu carro foi consertado, estou em casa, e, pela graça de Deus, não estraguei o meu dia!

“Espera pelo SENHOR, tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo SENHOR.” (Sl 27:14)