5 razões por que, como crente, não tomo bebidas alcoólicas

Postado por em: bebidas alcoólicas

Por André Sanchez

bebidas alcoólicas, cristãos, crentes, beberO assunto bebidas alcoólicas e cristãos é bem polêmico. Resolvi fazer este artigo por dois motivos: Primeiro, porque vejo muitos cristãos perdidos sem saber muito o que pensar sobre esse tema. Segundo, por ver alguns crentes causando muitos estragos por causa da forma com que fazem uso das bebidas alcoólicas, sem refletir muito. Os motivos abaixo são os meus motivos. Espero que possam servir para reflexão e, quem sabe, de direção para algumas pessoas que se sentem perdidas nesse tema.

1) Cristo me libertou, sou livre

Jesus Cristo me libertou de quaisquer imposições que a sociedade, a carne ou o diabo possam colocar sobre mim. A liberdade que Cristo me dá é suficiente para que eu tenha plenas condições de dizer “não” a qualquer coisa que achar inconveniente, mesmo se me for licita biblicamente. A Bíblia não me manda tomar bebidas alcoólicas, por isso, tenho a liberdade de dizer “não” se enxergo que ela não me convém, sem ser condenado por isso.

2) A linha entre o beber “socialmente” e a embriaguez é difícil de ser traçada

Apesar de concordar que a Bíblia proíba apenas a embriaguez, me pergunto: Quanto de bebida é necessário para que eu me embriague? Ainda não encontrei alguém que respondesse satisfatoriamente essa questão. Além do mais, o consumo de bebida alcoólica pode facilmente me enganar e me levar à embriaguez. É o que acontece com a maioria. Toda pessoa embriagada diz saber o limite. Nesse sentido, o organismo de cristãos ou não cristãos é igual. O limite é quase sempre desconhecido.

Alguns países estabelecem limites que determinam o que é estar embriagado ou não. O interessante é que esses “limites” são bem diferentes entre eles. Qual seria o real? Não sei! Não existe um consenso. Por isso, prefiro não brincar com algo tão forte e viciante quanto o álcool.

3) Onde moro a bebida é mal vista na vida de um cristão

No lugar onde moro, bebida alcoólica não é associada com uma vida correta diante de Deus. Eu sei que Deus vê o meu coração, mas não posso desconsiderar que sou sal e luz. Não posso desconsiderar que, como crente, devo pastorear os mais fracos na fé e ser um testemunho positivo na vida de quem ainda não conhece a Deus. Pra mim o espiritual vem antes do material. Se algo material traz um mal espiritual a mim ou a outra pessoa, tenho plena liberdade em Cristo de abrir mão dele, mesmo que me seja licito. É o que Jesus fez: Abriu mão de si mesmo pelo próximo.

Além disso, algumas questões me levantam dúvidas: Que exemplo estou dando aos mais jovens ou as pessoas de minha comunidade? Quando eles me veem bebendo, será que entendem a forma correta de usar a bebida ou entendem de uma forma negativa o meu ato? Com meu testemunho estou levando mal ou bem para a vida das pessoas, baseado na forma como a minha cultura entende a bebida na vida do crente? E aquela parcela de pessoas que têm tendência ao alcoolismo, será que não posso ser uma pedra de tropeço a elas?

Por mais esse motivo, não me envolvo com bebidas alcoólicas.

4) Bebidas alcoólicas fazem bem a saúde?

Já vi médicos defendendo certas doses de bebida alcoólica como saudáveis. Mas já vi também médicos defendendo que a bebida é bastante prejudicial. Novamente se debate a respeito de qual seria a quantidade exata que faria bem. E também se seria aplicada a qualquer organismo. Outra coisa que me preocupa: Será que a indústria da bebida não move seus pauzinhos para fazer a bebida “aparentar” algo bom com o propósito de manter seus lucros? Não sei! Mas é uma possibilidade.

Deus me deu um corpo para eu cuidar. Diante dessas questões, prefiro ainda não beber bebidas alcoólicas.

5) Existem outras opções

A bebida está associada na maioria das vezes a comemorações, a momentos de lazer, a “rebater” o calor (Isso em minha região que é muito quente). Porventura não há outras opções? Não há uma diversidade de bebidas que pode substituir a alcoólica e me trazer o mesmo prazer sem maiores complicações? É evidente que há! O problema é que muitas pessoas já estão viciadas e acham que estão se controlando. Isso é um sério problema. Por mais esse motivo me abstenho das bebidas alcoólicas.

Que Deus nos ajude a enxergar os nossos atos com mais profundidade! E que os nossos atos sejam canal de benção e não de maldição para nós e para as pessoas.

Fique à vontade para colocar seus motivos a favor ou contra o uso de bebidas alcoólicas pelo cristão. Use os comentários

61 comentários

  • Leonardo Franco disse:

    Olá André.

    Gostei muito do que você escreveu, mas sinto-me forçado a comentar alguns pontos:
    1. O fato de ser crente, ou, diria mais, cristão, não deve e nem pode ter nada a ver com beber ou não beber pois, do contrário, só crentes não beberiam e sabemos bem que há várias outras denominações religiosas que praticam este ‘repúdio’ e não são crentes, evangélicas ou cristãs.
    2. No primeiro ponto você diz que ‘Jesus Cristo me libertou de quaisquer imposições que a sociedade, a carne ou o diabo possam colocar sobre mim’, mas no terceiro ponto diz que ‘Onde moro a bebida é mal vista na vida de um cristão’. As pessoas podem ver (sem fazer esforço) isto como contradição, já que se você liga para a opinião das pessoas de onde você mora (e eu diria até em relação à opinião de qualquer pessoa), você não está livre.
    3. É preciso colocar com muito cuidado a questão do ‘servir de exemplo à pessoas’: as pessoas que queiram derrubar este argumente podem simplesmente alegar que o próprio Jesus bebia.

    Enfim, como falei no começo, gostei muito do escrito e entendi bem o que você quis dizer. Apenas gostaria de levantar alguns pontos que uma pessoa ‘mal intencionada’ poderia usar para começar a discussão.

    Abraço!

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Obrigado pelo comentário Leonardo.

      Ponto1
      Direcionei o artigo aos crentes, porque são o publico alvo dele, mas evidentemente se aplica a qualquer pessoa. É evidente que para pessoas que não creem na Bíblia ficaria difícil argumentar os pontos baseados na Bíblia.

      Ponto2
      Não há contradição entre o 1 e o 3 ponto. Cristo me libertou, mas a minha liberdade não deve servir para escandalizar as pessoas. Considerar a forma como as pessoas veem algo não é ser escravo delas, mas exercitar sabedoria. O meu foco é espiritual. Quando ajo com sabedoria diante dos problemas da sociedade exercito plenamente a minha liberdade. Veja o que Paulo declara: “1Co 8:13 E, por isso, se a comida serve de escândalo a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que não venha a escandalizá-lo.” Paulo, aqui, considera a opinião e a visão dos fracos na fé. Seria Paulo escravo por causa disso? De jeito nenhum! Paulo demonstra sabedoria para que o objetivo espiritual seja atingido.

      Ponto3
      Como expus em um dos pontos, não vejo na Bíblia um proibição da beber bebidas alcoólicas, mas do embriagar-se. Se Jesus usou bebidas alcoólicas, Ele o fez dentro dos padrões bíblicos, pois não teve pecado. Agora, será que temos condições de agir com as bebidas alcoólicas como Jesus agiu? Tenho minhas dúvidas, principalmente com relação a mim mesmo. Além disso, os tempos eram outros e a cultura também. Nossa cultura é bem diferente com relação a forma como encara as bebidas alcoólicas. Será que os meus vizinhos encaram o fato de um servo de Deus beber da mesma forma que os vizinhos de Jesus encararam em Sua época? É evidente que não. Por isso essa comparação com Jesus deve ser feita com critérios.

      Expus no artigo os meus motivos particulares. Não sou um exemplo inerrante. Cada um deve pedir sabedoria a Deus e avaliar o seu caso.

      Leonardo, obrigado por promover o debate… fico muito grato!!!

      Responder
    • marcos roberto muniz disse:

      o álcool na minha vida,foi pior que uma tempestade que no meu caso durou mais, ou menos vinte anos,mas com a graça de DEUS consegui me libertar,foi dificel,sim muito dificel,não posso me esquecer de todas as pessoas que me ajudaram,e nem ao grupo de a.a ao qual sou membro.

      Responder
    • Lisete Terezinha Dos Santos disse:

      Concordo com você Leonardo, temos o livre arbítrio, para escolher o que é bom ou ruim para nós, independente de religião. Sou católica e repudio a bebida alcoólica e o cigarro. Tenho um vizinho que é crente, evangélico e bebe, é uma esponja, então é muito relativo este ponto sobre a bebida. E não concordo com o André, ao dizer que pessoas que não conhecem a bíblia, ficaria difícil argumentar os pontos baseados na bíblia. Conheço pessoas que são totalmente hereges e não bebem, não fumam e não praticam o mal, como muitos que vejo, que sempre estão na casa de ” DEUS “, e fora estão fazendo totalmente ao contrário as leis de ” DEUS “. Isso tudo não tem nada a ver com as religiões, e sim com o caráter da pessoa. É sempre a mesma ladainha, que os crentes são os melhores, não pecam, não fazem nada de errado, e que ” JESUS ” os libertou, que estão salvos. Isso não tem nada a ver, repito com qualquer religião e sim com o caráter e o livre arbítrio que cada um quer seguir…Abraços…

      Responder
  • Rogerio Buschinelli disse:

    Concordo plenamente com voce. Parabens mais uma vez!

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Obrigado por ler, Rogério!!!

      Abração!!

      Responder
  • Julieta disse:

    Estou plenamente de acordo com o artigo. Já vi profissionais da medicina defendendo que é uma doença pra muitas pessoas, o qual tornam-se dependente do alcool através da primeira vez, sendo assim, é muito melhor não ter a primeira vez. Como no cigarro colocam tantas drogas para a dependência, acham que com a bebida a indústria iria ser generosa?

    Responder
  • Danielle Sueli disse:

    André, como sempre você me surpreende com estes textos direcionados por Deus.
    Fiquei hiper feliz por te-lo escrito.
    Penso assim como você. Fico triste quando vejo cristãos com suas garrafinhas de vinho, e infelizmente isto existe, e por eu não aderir a isto fica parecendo que sou a chata, mas é que sei o mal que a bebida causa, a destruição dentro de um lar. Também escrevi um texto sobre a bebida alcoólica, e já faz um tempo, foi em 2009. Se tiver interesse aqui está o link:

    http://mensagensdaniellesueli.blogspot.com/2009/01/devocional-o-que-biblia-fala-sobre_18.html

    Que Deus continue te usando com toda ousadia pra falar a verdade! Bjs

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Obrigado por compartilhar sua opinião… vou ler sim seu artigo…

      Abração!!

      Responder
  • Eduardo Silva disse:

    Concordo com tudo, mas se devemos seguir a Palavra de Deus e ela não aponta como “pecado” a ingestão de bebidas alcoolicas, logo porque inventar. O primeiro dom espiritual é a sabedoria, nada há de mais você em sua casa tomar uma taça de vinho antes de dormir ou em uma festa. Se embriagar é outra coisa. Temos de deixar de acreditar em tudo que ouvimos, como outras religiões que impõe Dogmas sobre assuntos que não estão na Biblia. Agora se é você é ex-alcoolatra, beba suco ou água. Sabedoria e não invenção de homem. Chega de interpretações erradas, traduções erradas que nos levam a desagradar a Deus sem sabermos. Vá a fonte, busque uma Biblia Judaica e faça a comparação e verá as diferenças de tradução…foi lá que tudo nasceu. Estamos cometendo o mesmo erro de anos atrás, pois não gostamos de história e acreditamos em homens aparentemente “bem intencionados” e tomara que sim….pois eles prestarão contas com Deus que é o supremo juiz e não a mim.

    Responder
  • élidizinha disse:

    Concordo com vc, e coloco mais , eu antes de conhecer Jesus, bebia ¨socialmente¨ como o mundo diz, depois q me libertei e entendi q o meu corpo faz parte da igreja, não bebo mais, não porq faz mal ou não , porq simplesmente a biblia fala em não embriagar-se, como conheço e eu sei q atras de um copo vem outro, e como vc disse, não temos controle, achamos q sim, mas é mentira, várias vezes me embriaguei e falava q estava sã. realmente não devemos nos embriagarmos, senão acontece igual a noé a maldição da família e vergonha, pra q ? não há necessidade., será q a palavra não nos proíbe de bebermos? Deus fala p/ plantar uvas e beber do seu mosto (sumo de uva antes da FERMENTAÇÃO). isto não é vinho.
    Abcs.

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Obrigado por comentar, Élides.

      Só corrigindo uma coisa: Nem todo vinho descrito na Bíblia é o mosto. Pelo contrário, a maioria das passagens bíblicas que falam a respeito de vinho, falam de vinho com teor alcoólico. Se tiver curiosidade sobre essa questão de mosto e vinho, no link abaixo tem um estudo muito detalhado feito pelo pastor Alexandre Gaona que esclarece bem essa questão: http://www.belajerusalem.org.br/2011/04/o-consumo-de-bebidas-alcoolicas-pelo.html

      Abração!!

      Responder
  • Cido Marden disse:

    @marden25 o artigo curto e direto.

    Obrigado.

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Obrigado, Cido. Fico feliz por você ter lido!

      Abs!!

      Responder
  • Eduardo Silva disse:

    Apenas para esclarecer: até porque o vinho era a bebida consumida naqueles tempos como sinal de alegria, principalmente nas festas judaicas (vamos nos ater somente ao povo de Deus). Tanto é que possui teor alccólico que Ló se deixou embriagar e as filhas tiveram relaçoes com ele. Existe outros fatos que demonstram isso. Outro cuidado são que os ditos de Constantino ( mais ou menos 300 anos depois de Jesus [o certo seria falar Yeshua, pois nomes não são traduzidos, mas deixa estar]) ficaram ao decorrer dos anos e perduram até hoje. Se a Bíblia veio do povo judeu, porque a sua cultura não veio também? Por que não celebramos suas festas? Quem institui o dia 25 de Dezembro como nascimento de Jesus, se naquela época o calendário era diferente? Pesquisem na internet, quem foi o deus sol, mitra que terão algumas respostas. Então devemos ter cuidado, pois apesar da reforma protestante, com Lutero trouxe benifícios, não foi suficiente para restauração da Igreja. Querem ver um belo exemplo de tradução: Romanos 10:4, as Bíblias traduzidas por João Ferreira de Almeida, dizem “…que o fim da Lei é Cristo”, mas a tradução correta seria “…a finalidade da Lei é Cristo” e isto muda totalmente o sentido. Porém esclareço que a salvação é dinâmica e é pela graça, mas a Lei foi imposta para nos dar qualidade de vida e exercitar a obediência a Deus. Logo devemos ter cuidados, pois até entendo que não seja culpa de ninguém, pois a Biblia de JFAlmeida era a única fonte que tínhamos. Mas agora, com a globalização e a internet, temos acesso a toda e qualquer informação em tempo “recorde”. Por isso, sugiro se aprofundar nas pesquisas da Palavra de Deus e não adotem o que eu disse como verdade…pesquisem, orem ao Senhor e terão um exeperiência maravilhosa com Ele. Pois somente com um conhecimento mais profundo de Deus, seremos realmente libertos. A Bíblia veio do povo escolhido de Deus, que muito antes de nós já viviam nas Leis do Deus e venciam todas as batalhas, quando estavam em sua presença. E Jesus não veio para anular a Lei e assim para confirmá-la. Tenham um bom dia e Deus os abençoe muito.

    Responder
  • Anderson Andujar disse:

    Parabéns pela abordagem sensata. Como líder, constantemente sou questionado sobre a questão, e agora tenho mais argumentos para me auxiliar. Republiquei um artigo seu sobre estudo bíblico, citei a fonte, espero não haver problema, caso tenha eu posso retirar o post. Obrigado e a paz de Cristo…

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Obrigado, Anderson. Fico feliz por haver mais pessoas com esse mesmo pensamento. Os artigos estão liberados para republicar com a única condição de citar a fonte.

      Abração!!!

      Responder
      • Anderson Andujar disse:

        Obrigado pela recepção aqui em seu espaço, estou dando uma olhada nos posts mais antigos e tem muita coisa edificante. Parabéns, gostei da maneira simples e direta com que você escreve. Obrigado por nos seguir também, sinto-me honrado. Em Cristo…

        Responder
        • André Sanchez disse:

          Muito obrigado… estou seguindo seu trabalho também. Gostei. Você falando dos meus posts antigos, me lembrou que preciso dar uma revisada neles… no começo a gente sempre comete alguns erros rsrsrs

          Abs!!

          Responder
  • Basilio disse:

    Meus parabéns André pelos seus artigos;que Deus e o Senhor Jesus Cristo possa nos abençoar cada dia mais;para que possamos estar sempre aprendendo mais sobre as coisas de Deus!Um abraço.

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Obrigado, Basílio! Agradeço pela sua visita no blog

      Abs!

      Responder
  • Alexandre Cesar disse:

    Desculpe a franqueza, mas discordo de quase tudo dito por você. É claro que não devemos escandalizar o irmão, mas proibir uma coisa que não é pecado é incoerencia… O que acontece no meio evangélico brasileiro é o famoso “jejum do jiló”. Os que batem no peito e chamam de pecado os que ingerem bebidas alcólicas, se escondem atrás de uma “pseudo santidade” em relação à essa área se esquencendo das demais. Deus nos chama a um equilíbrio. Infelizmente eu vejo pessoas que se privam de fazer algo que gosta por um dogma criados nos púlpitos, ou pior, pessoas sensatas que não se rendem ao evangelho por que sabe que certas proibições vão impedir de viver uma vida com Deus através de um legado (legalismo criado) e não da santidade… Seria muito mais fácil falar com o cristão para se examinar ao beber, se a bebida já lhe fazer mal então abandonar… Todo mundo tem o seu ponto fraco, mas não são todos que tem o mesmo ponto fraco. Para uns a bebida faz mal, para outros a cobiça dos olhos, para outros a avareza e assim por diante… Esse legalismo brasileiro mais atrapallha do que ajuda… E essa é minha humilde opinião…

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Alexandre, você tem todo direito de discordar. Você podia enumerar, então, 5 razões por que é importante para o crente usar o álcool. Ou 5 razões por que o uso do álcool é bom para a vida de um crente.

      As minhas 5 razões já coloquei no artigo e continuo com a mesma opinião.

      Abs!!

      Responder
      • Kennya disse:

        Mais uma vez parabéns! Seus artigos são extremamente esclarecedores… as pessoas podem até discordar, mas tem que ter argumentos suficientes para isso. Eu concordo plenamente que bebida e vida cristã não andam juntas… não tem como… se nós fomos chamados para ser sal da terra, temos que dar exemplos. E a linha entre o social e a embriaguez é muito pequena… é como se você andasse na beira de um penhasco sempre. Essa é a minha opinião. Obrigada! OBS: Já indique seu blog para várias pessoas. Que Deus te abençõe.

        Responder
        • André Sanchez disse:

          Obrigado, Kennya! Te agradeço por ler e por ajudar na divulgação do meu trabalho!

          Abs!

          Responder
  • nando disse:

    As 5 razões porque, como crente, tomo bebidas alcoólicas:

    1) Cristo me libertou, sou livre, e não me fiz escravo do que eu como, ou do que eu bebo, pois o mal é o que sai, e não o que penetra pela boca;

    2) A linha entre o beber “socialmente” e a embriaguez é difícil de ser traçada, mas quando se consegue autodomínio suficiente, e se conhece os seus próprios limites, sois verdadeiramente liberto, porque se sua vontade ainda se sujeita a ser escrava do que bebes, fazes, pensas, pretendes e almeja, não estais verdadeiramente liberto.

    3) Onde moro a bebida não é mal vista na vida de um cristão, porque ninguém me julga pelo que como, ou pelo que bebo, nem pelo que visto, mas pelo que sou, pelo que fui transformado em cristo;

    4) – Bebidas alcoólicas fazem bem a saúde, quando ingeridas moderadamente, conforme estudos científicos comprovados, especialmente em relação ao vinho tinto, combate o colesterol, os radicais livres e o sistema imunologico. Algumas vilas italianas e Bordeaux, a longevidade com saude é diretamente atribuida ao uso moderado do vinha ( um calice pequena pela manhã, todos os dias)

    5) – o problema não é o vinho, mas o uso que voce faz com ele.
    Obrigado pelo espaço.

    Responder
    • André Sanchez disse:

      O espaço é aberto, Nando! Eu coloquei meus 5 motivos para não beber. Você colocou 5 motivos para beber.

      Assim, como Paulo disse: “Cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus.” (Romanos 14.12)

      Outra coisa: fique atento ao uso da liberdade, pois a liberdade pode ser mal usada: “Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade; porém não useis da liberdade para dar ocasião à carne; sede, antes, servos uns dos outros, pelo amor.” (Gálatas 5.13)

      Abs!

      Responder
    • Kennya disse:

      Como cada um tem sua opinião, venho expor a minha… eu acredito que se Deus tivesse o libertado verdadeiramente, você não sentiria vontade de beber bebidas alcoólicas. Da mesma maneira que quem é verdadeiramente liberto das drogas, não sente vontade de dar um tapinha num baseado, e não dizem que é tem autodominio sobre elas. Na bíblia tb diz que “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm” 1 Coríntios 6:12.

      2) A linha entre o beber “socialmente” e a embriaguez é difícil de ser traçada, mas quando se consegue autodomínio suficiente, e se conhece os seus próprios limites, sois verdadeiramente liberto, porque se sua vontade ainda se sujeita a ser escrava do que bebes, fazes, pensas, pretendes e almeja, não estais verdadeiramente liberto??????? o item dois agora transformado em pergunta.
      E outra… que moral você teria para aconselhar um alcoolatra que espera ser transformado por cristo? – Você diria: “Irmão você só precisa ter autodomínio sobre a bebida, assim você não espanca sua mulher, seus filhos, terá controle sobre o volante do seu carro e depois você saí por aí no meio do povo, diz glória a Deus sou liberto e pronto.. aí todos vão realmente acreditar que você não é mais alcoolatra”.

      3) Onde moro a bebida não é mal vista na vida de um cristão, porque ninguém me julga pelo que como, ou pelo que bebo, nem pelo que visto, mas pelo que sou, pelo que fui transformado em cristo; — As pessoas podem até não julgar, mas sempre ficam com aquela ponta de incerteza na cabeça “será mesmo”… e se um dia vc cair… não será novidade, porque? porque vc já bebia socialmente… na minha opinião é como se vc andasse sempre na beira de um penhasco.

      4) – Bebidas alcoólicas fazem bem a saúde, — aalcoólatras dizem isso todos dos dias.

      Como eu acho que álcool não faz bem a saúde e não é necessário para a sobrevivência humana, acredito que não tenha necessidade nem mesmo de tomar socialmente. Mas como isso não é regra, cada um faça aquilo que sua consciência mandar… e viva o livre arbítrio.

      Responder
      • Rogerio Lázaro disse:

        Biblicamente (e apenas biblicamente), onde encontro a clara e expressa PROIBIÇÃO de ingerir (apenas ingerir) bebida alcoólica? Por favor, ajude-me, pois ainda não encontrei e preciso muito encontrar.

        Responder
        • André Sanchez disse:

          Rogério, não existe essa proibição. A Bíblia fala contra a embriaguez. Porém, não determina o quanto se precisa para estar embriagado. A Bíblia também alerta para os perigos da bebida.

          Responder
          • Rogerio Lázaro disse:

            Querido irmão André, obrigado pela atenção e pelo espaço!

            É que, pelo modo como o assunto é abordado pela maioria, fica a impressão de que quem decide não se abster do álcool, mesmo que não se embriague, está cometendo pecado. Se a ingestão de bebida alcoólica sem se embriagar não é pecado (como de fato não é) chega a ser intrigante o quanto isso incomoda quem decide se abster do álcool. Se a Bíblia não determina o quanto de álcool se necessita para estar embriagado fica patente que esta é uma situação de foro íntimo, pois nem mesmo o Criador determinou ou parametrizou tal detalhe, haja visto ser algo muito particular e variável de indivíduo para indivíduo.
            O básico e elementar no que diz respeito ao consumo de bebida alcoólica é que, por si só, não é algo pecaminoso. Respeitando e contextualizando adequadamente a Bíblia esta é a real (e incômoda para muitos) conclusão a que chegamos. E aí vamos esbarrar em algo, infelizmente, muito comum no seio da cristandade: falta de maturidade.
            Falta de maturidade daqueles que, dentro da liberdade que possuem em Cristo, não se abstém do consumo do álcool mas, embora não cometam o pecado da embriaguez, erram por afirmarem que quem não bebe é religioso fanático.
            Falta de maturidade, por outro lado, daqueles que, também dentro da liberdade que possuem em Cristo, decidiram se abster completamente do álcool, mas insistem em usar de uma autoridade que nenhum ser humano possui classificando como pecado aquilo que nem o Pai Eterno classificou e condenando aqueles a quem o Justo Juiz não condenou.
            De acordo com a maturidade cristã e respeitando todo o contexto bíblico, a situação da Igreja no que tange ao assunto deveria ser a seguinte: quem entende que tem condições e razões de consumir bebida alcoólica sem pecar (embriaguez) que o faça sem querer determinar que os demais ajam e sejam da mesma forma. O mesmo também se aplica a quem entende que NÃO tem condições nem razões de consumir bebida alcoólica sem pecar.
            Porém, para a Igreja alcançar esse nível de maturidade ainda falta muito!

            *A Bíblia também alerta para os perigos do sexo e do dinheiro. Como cristãos maduros, porém, discernimos á luz da Palavra de Deus qual o verdadeiro lugar de cada um e o modo como fazemos uso de tais coisas. Fazendo uma interpretação livre de preconceitos vamos perceber que o tipo de abordagem curiosamente é, em essência, o mesmo para o consumo de bebida alcoólica.

            Em Cristo… e somente Nele!

            Rogerio Lázaro

          • André Sanchez disse:

            Rogério, vejo que precisamos ser cuidadosos principalmente em uma cultura como a nossa totalmente exagerada com o álcool. Em minha família têm muitos que bebem e o mais interessante é que todos eles dizem que sabem o tanto que podem beber, mas sempre ficam bêbados.

            Os cristãos devem ter especial atenção com relação a isso por motivos óbvios.

  • nando disse:

    Estou atento querido André, estou atento, porque a minha liberdade não é hedonista ( não é fazer somente e exclusivamente o que quero), porque quem faz somente o que quer, não é livre, mas escravo de si mesmo.
    E por outro lado, aqueles que se dizem em liberdade, mas se prendem à grilhões e se privam por suas próprias fobias, é porque não estão aptos a fazerem bom uso dela, portanto, não são factualmente livres.
    A esses eu digo: Continuem presos, para seu próprio bem, até que Cristo os liberte verdadeiramente.
    Só queria esclarecer: Não sou dependente químico, nem psicológico de bebidas.
    Sei o que me convém.
    E Kennia, te peço não me julgue.
    Não que isso me incomode, pois o único julgamento que me importa à essa altura da vida, é o de Cristo, no juízo final.
    Não me julgue porque isso não lhe fará bem espiritualmente.
    Lembre-se, voce não morreu por mim, não deu a sua vida por mim, não padeceu por mim, e portanto, não tens autoridade espiritual para me fazer qualquer veredicto, (se sou liberto ou não).
    Vamos combinar:
    Voce cré na biblia, eu sei que sim. Então siga o conselho do Apostolo Paulo:
    Colosenses 2-16: “Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, OU PELO BEBER, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados,”
    Mas se quiser realmente proferir julgos, tente imitar como Cristo nos julgará, julgando pela: 1) fome do indigente que não saciamos; 2)- pela dor dos enfermos que não nos comoveu; 3) pelas boas obras que poderíamos ter feito e não fizemos para não sairmos da nossa zona de conforto religiosa; 4)- pela deslealdade com a qual agimos em “nome de deus”; 5) – pelo sofrimento dos entes amados que poderíamos ter evitado, mas provocamos; 6) – pelas chances que tivemos em não pecar e desperdiçamos, 7) – por nosso egoismo; 8) – por nosso moralismo tolo e hipócrita, que nos dá a sensação de sermos superiores a outros, apenas porque temos cultura e costumes diferentes; mas principalmente pelo amor ao próximo que pregados, mas que somente em raras vezes praticamos.
    Nisto é que temos que dar conta a Cristo.
    Muita luz e paz para todos.
    Obrigado mais uma vez André, pela liberdade de pensamento e expressão neste espaço.

    Responder
  • nando disse:

    Há, já ia me esquecendo,
    Quem se droga Kennia, porque tem por objetivo sempre ficar “doidão”.
    Mas quem prefere uma boa taça de vinho tinto, acompanhando de uma suculenta macarronada da “nona” não tem por objetivo ficar alucinado.

    Responder
    • Kennya disse:

      Nando, não estou te julgado… estou discordando de todos os seus pontos de vista. Nem tudo que serve para você (As 5 razões porque, como crente, tomo bebidas alcoólicas), serve para outras pessoas. Há pessoas que com uma taça de vinho não se controlam e isso não é bom para a saúde. Conheço um “pastor” que bebe socialmente e continuo achando que não tem como ele dar exemplo, ou conselhos para um alcoolatra, se ele mesmo bebe. E infelizmente muitas pessoas vivem tendo como exemplos outras pessoas. Mas enfim, cada um faz aquilo que quer da sua vida. Fique com Deus.

      Responder
  • nando disse:

    Kennia,
    Não podemos cometer o erro de taxar as nossas conveniencias e os nossos costumes pessoais como doutrina.
    Deus condena a embriagues, não o uso da bebida.
    Assim ele também condena a glutonaria, mas não a boa dádiva da comida.
    Nâo estou fazendo apologia ao consumo irresponsável de bebidas fortes, (assim como não faria em relação ao uso de remédios), mas não se pode satanizar alguém, apenas pelo que se bebe ou pelo que come.
    Que bom seria se todos vivessem com o exemplo do pastor que voce citou – beber moderadamente, e quando quiser, sem se tornar dependente.
    É claro que tenho consciencia e evito um cálice de vinho se estiver na presença de alcoolistas.Também não incentivo a ninguém, sei com o que lido, mas não condeno quem bebe com consciencia, sem escandalos.
    E digo, se alguém não se controla, então que não beba.
    Se a bebida que te traga, afaste-se dela.
    Do mesmo modo falaria ao glutão ( se é comida que te come, oh comilão, modere-se)
    Não podemos impor nossos costumes e gostos pessoais como dogmas.
    Costumes são costumes, tradição é tradição, cultura é cultura e pecado é pecado.
    É preciso saber discernir as coisas.
    Um forte abraço a todos, e fica com Deus.

    Responder
    • sandra disse:

      Nando,eu antes de ser crista morava numa casa,isso eu tinha 13 anos e todos os dias o meu chefe me dava meio copo americano de cerveja na hora do almoço,eu nao ficava embriagada isso durante um ano.quando eu fui embora da quela casa,quando chegava na hora do almoço eu babava de vontade de beber minha dose de cerveja. como dizia meu avo: de grao em grao a galinha enche o papo. rs (sem animo de ofensa!)

      Responder
  • Alessandra Pereira de Barros disse:

    Não creio que Cristo sentaria a uma rodinha de crentes e pediria a que desce redondo, ou a que o referir o nome já é pecado…ou qualquer outra, álcool está entre as drogas lícitas no mundo, mas assim como não acredito que posso usar a nicotina com moderação , o álcool também não, assim como os defensores deste hábito dizem que não há nenhuma referência bíblica proibindo o álcool, não há para a nicotina…há muitos estudos afirmando que o suco de uva integral traz os conhecidos benefícios que tanto se coloca a o vinho alcoólico, o efeito medicinal está na uva, que além de muitos benefícios sem precisar sobrecarregar seu fígado. Está é minha posição, e é como ensino a meu filho, para que esteja bem orientado, para quando chegar a adolescência ter uma posição firme quanto ao álcool e outras drogas. Conheci agora seus artigos, muito bons, parabéns.Paz de cristo!!

    Responder
  • Ale disse:

    Não creio que Cristo sentaria a uma rodinha de crentes e pediria a que desce redondo, ou a que o referir o nome já é pecado…ou qualquer outra, álcool está entre as drogas lícitas no mundo, mas assim como não acredito que posso usar a nicotina com moderação , o álcool também não, assim como os defensores deste hábito dizem que não há nenhuma referência bíblica proibindo o álcool, não há para a nicotina…há muitos estudos afirmando que o suco de uva integral traz os conhecidos benefícios que tanto se coloca a o vinho alcoólico, o efeito medicinal está na uva, que além de muitos benefícios sem precisar sobrecarregar seu fígado. Está é minha posição, e é como ensino a meu filho, para que esteja bem orientado, para quando chegar a adolescência ter uma posição firme quanto ao álcool e outras drogas. Conheci agora seus artigos, muito bons, parabéns.Paz de cristo!!

    Responder
  • Blog do Lino disse:

    Muito bom, André. Sinceramente, não me sentiria escandalizado ao ver um ministro, ou um cristão comum, bebendo. Mas ficaria triste ao ve-lo nessa situação sabendo que ignorou pontos que voce muito bem mencionou.

    Acredito que todos os que nao veem problema em consumir esse tipo de bebida tropeçam em algum desses pontos. Sempre defendo o seguinte: é ministro e quer beber tais bebidas? Então comunique à congregação ou ao corpo ministerial. Isto é, que seja publico. Afinal, quem não deve não teme.

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Lino, na dúvida é melhor não usar. Creio que os malefícios superam em muito os benefícios.

      Abs!

      Responder
  • Paulin disse:

    Parece que se bate sempre na mesma tecla. Por não se fala que beber café em excesso faz mal também? Por que não se proíbe de vez aquele refrigerante preto que não tem nada de bom? Muito pelo contrário, ele é muito pior que um bom vinho. Mas não, disso os crentes não falam. E as gorduras trans?? Não se tá levando uma vida saudável. Cada vez que come coisa industrializada sua vida diminui. Mas e ai? Se fala??? Pra que ficar dizendo o que as pessoas devem fazer? Cada um deve ter sua própria consciência. Daí acontece isso aí, se critica a bebida sem argumentos plausíveis. Pra mim não passa de hipocrisia condenar uma coisa e não se atentar as outras. Pra mim, isso é igual escutar música não evangélica. Os crentes criticam sem bons argumentos.
    Quanto aos seus argumentos:
    1- Me explica o que tem a ver liberdade com beber ou não, porque do jeito que tá ai, isso não é argumento. Trata-se somente de uma explicação dentro de um outro contexto.
    2- A linha do socialmente é bem definida sim, cada um conhece. Eu bebo socialmente e nunca fiquei nem “alegre”. E outra, também, se eu passar da doze de café e ficar eufórico pode? Porque isso pode me deixar ansioso, e ansiedade pode levar a glutonaria.
    3- Bem breve. Deveria se ensinar na igreja cada uma cuidar da sua vida. Não se trata de mexericos não?
    4- Tudo pode fazer bem ou mal, dependendo da quantia. Tome muita água. Em excesso leva à morte.
    5- Desculpa, mas isso não é argumento. Mesma coisa de eu convencer alguém não usar blusa branca, porque não gosto, porque existem outras opções.

    Devemos tomar cuidado com radicalismo. Nos impede de enxergar as coisas!!!

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Paulin, essas são as minhas razões. A bebida alcoólica é um problema de saúde pública no Brasil. Talvez você seja um em um milhão que saiba beber socialmente, saiba a hora de parar, mas você tem que dar o braço a torcer que isso é raridade. Eu trabalho na saúde e sei o estrago que o álcool traz. Um estrago milhões de vezes maior que café e água citados por você.

      Responder
  • Sandra Souza disse:

    Eu participei de um ensinamento,de que dizia de que tudo que causa escandalo ao meu proximo é pecado,mais q nao teria nenhum problema engeirir algo de alcool, entao quando eu cheguei em casa peguei a latinha q meu marido estava bebendo e tomei um gole e senti acusada na hora,entao eu pedi o Senhor perdao. eu tambem lembro de quando na minha adolecencia,um senhor me servia todos os dias uma dose de cerveja,nao chegava nem meio copo americano, durante 2 anos eu bebi com ele na hora do almoço,e quando eu sai dessa casa,nossa entrava o desespeiro q boca ate enchia d,agua. essa historia de que um pouquinho nao faz mal e disculpa pro diabo entrar con sapatinho de algodao

    Responder
  • Max disse:

    Hipocrisia nível 9000. “Eu não bebo porque a bíblia não manda beber, mas se você beber você vai pro inferno!!”
    Parem de dar dinheiro pra esse babaca e vão fazer algo produtivo.

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Max, você sabe ler? Então releia o artigo e dê opiniões embasadas. Onde no artigo está escrito que quem bebe vai para o inferno? Vá ser mais produtivo, por gentileza!

      Responder
    • Rogerio Lázaro disse:

      Sem noção nível 18000!

      Responder
  • Kennya disse:

    Coitado desse Max deve estar bêbado já! kkkkk… não sabe debater!! Não sabe brincar não desce para o Play!

    Responder
  • Simone Maria Rodrigues disse:

    André, concordo com você em número, gênero e grau! Desde a minha conversão ainda não tinha lido um artigo tão esclarecedor como este, pois ele reflete meu pensamento. Antes da minha conversão eu somente bebia vinho q sempre que podia eu gostava de beber, e confesso q ainda o fazia no começo de minha vida cristã, mas logo entendi a questão do testemunho cristão.
    Pedi perdão a Deus pois tinha a convicção que não estava dando um bom testemunho, sendo que eu fazia isto em reuniões familiares, e, como eu queria levar minha familia á Cristo tendo os mesmos comportamentos que tinha antes?
    Excelente mais uma vez seu artigo, e como vc bem nos lembrou somos “sal e luz” logo temos q nos comportar como tais…
    Deus te abençõe!!

    Responder
  • andre luiz thobias disse:

    graça e paz irmao adorei o comentario sobre as bebidas parabens muito bom esse seu trabalho hoje muitos precisam de ajuda para se libertar desses vicios : fiz uma pequena copia e levei ate a nossa igreja que em bom jardim estado do rio de janeiro desejo a graça e a paz do senhor ao irmao !

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Que bom que foi útil, irmão! Fica com Deus!

      Responder
    • marcos roberto muniz disse:

      boa tarde Andre não só o crente mas todos o que fazem o uso do alcool deveria refletir sobre o tema,porque com eu já ouvir dizer que o alcool é o COMBUSTIVEL PARA NOSSA DERROTA.

      Responder
      • suzete auxiiadora da silva vaz disse:

        é uma grande vdd esse comentário marcos, o melhor mesmo ainda é obedecer a Bíblia que só nos dá conselhos pra vida e nas nos deixa confundidos , pq sóbrios, estamos aptos pra revelarmos o quanto vale sofrer pelo nome de Jesus e ao mesmo tempo sermos agraciados com sua graça que nos basta,,

        Responder
  • Francisco Alves disse:

    Francisco Jose Alves, 20 de setembro de 2013, às 14:08
    O senhor Jesus Cristo seja convosco. Amei o comentario, considerando que as substancias existente na babida alcoólica são entorpecentes. E a bebida alcólica tem disfeito muitas familias sob tragicas situações.
    Talvez a mais simples seja a separação dos cojuges.
    o nosso corpo é consagrado como morada do e´pirito santo, somos obra prima de Desu, responsaveis pela evagelisação daqueles que não conhece à Cristo Jesus, somos santos, que quer dizer separados, logo não podemos viver segundo a carne e sim segundo a palavra de Deus. inclusive diz em I Pedro 1 – Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver;
    e beber não está nas maneiras de vivermos como verdadeiros cristãos.
    1 Pedro 1:15

    Responder
  • Antonio Michael Silva Santana disse:

    Muito obrigado Pb. André Sanchez realmente eu vinha pensando muito no assunto desde a última sexta-feira, quando ingeri um copo de coquetel por não ter certeza se tinha álcool ou não. Mas mesmo sem saber pedi perdão a Deus se tiver pecado. Seu texto foi muito esclarecedor para mim e vejo que apesar das torrentes águas sujas que pululam a internet ainda existem sim alguns poços de Sabedoria. Que o Senhor te abençoe poderosamente.

    Responder
  • Guilherme Delfim Farahane disse:

    O uso do alcoo não é aconselhado para os cristãos. Jesus disse ” Orai e vigiai para não cairdes em tentação”O ra, se estou bebendo socialmente corro o risco de me embriagar, a BÍblia diz: 2 Não vos embriagueis com vinho, mas enchei-vos d espirito”.
    1Corintio 6:10 diz que os beberões não herdarão o reino dos céus.
    A bebiida tira autodominio na pessoa e fica propensa para fazer o mal.
    Ademais o alcool gera violência doméstica, arruina famlias, para além de procar doenças relacionadas com figado.
    A biblia diz que temos que ser imitadores de Jesus Cristo, e Jesus nunca consumiu alccol nem nas bodas de Caa!

    Responder
  • Filipina disse:

    André eu acho que consumir bebidas alcoólicas não é pecado, torna-se pecado quando os seres humanos fazem da bebida um motivo de escândalo e exagero.
    agora no que foca um Cristão, cabe a consciência dele. visto que o Diabo Satanás aproveita-se nos vícios e más companhias,
    Muitos dizem que beber é para aliviar ou ate mesmo esquecer problemas;
    atenção povo de Deus: você quando está embriagado naquele dia ou instante os problemas passam. E o que acontece quando a embriagues passar?
    R: os problemas dizem-te bom dia meu amigo como estás? rsrsrsrsrrsrs.

    Paz e Bem.

    Responder
  • sandra disse:

    irmão André, mais uma vez parabéns esse assunto foi maravilhoso, só lamento quando vejo irmão debatendo, como foi o caso no início do artigo, seria bom se verdadeiramente entendessemos o assunto, porque não vi hora nenhuma vc dizer que quem bebe vai pro inferno. Jesus continue em sua vida e da sua família

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Sandra, infelizmente temos de estar preparados para ouvir todas as opiniões, até a dos ignorantes, faz parte

      Responder
  • Eliane disse:

    Talvez uma pessoa tome um copo de vinho por prazer ou para relaxar ou comemorar algo com familia,amigos etc. E basta. Se alguém tem duvida do que faz deve buscar a direçao de Deus nisso,ajuda de cristaos maduros, etc.. Porque como alguem disse acima, talvez eu tome um copo de vinho num jantar e possam me condenar,mas se a minha consciencia com Deus esta limpa,eu nao acho que devo por peso em mim por causa dos outros. Mas claro,se um irmao tem essa dificuldade é melhor esclarer as coisas pra ele. Eu acho que muitos assuntos sao tabus no meio evangelico. Eu vejo isso no estudo biblico de onde eu congrego. Porque quando uma pessoa que logo se converteu ou esta na caminhada há pouco tempo e faz perguntas as pesssoas mais velhas, tendem a querer mudar de assunto. Todos nos temos direito de questionar aquilo que somos ensinados.E nem só porque algo é dito muitos vezes que se torna a verdade. Temos que aprender a discutir assuntos, discutir nao é brigar, ou ficar emburrado,ou desmerecer uma pessoa, é argumentar,é ser confrontado.Isso traz crescimento na vida do cristao.

    Responder
  • Nunah disse:

    MUITO BOM , NADA ME IMPEDE DE BEBER , FOI UMA COISA QUE JESUS ME LIBERTOU , EU NÃO PEDI A DEUS PRA TIRAR A BEBIDA , QUANDO COMECEI A IR PRA IGREJA , E UM DIA FUI SALDADO POR UM IRMÃO COM A PAZ DO SENHOR , EM MEU ESPIRITO JA HAVIA TEMOR , EU AINDA IA AOS BARES TOMAR UMA , DEPOIS DISSO COMECEI A COMPRAR NO MERCADO E TOMAR EM CASA , PRA NÃO SER UMA PEDRA , OU ESCANDALIZAR O REINO DE DEUS , E DEPOIS , PARA HONRA E GLÓRIA DE DEUS , NÃO BEBO MAIS , ISSO JA FAZ SEIS ANOS , E ISSO NÃO É SACRIFÍCIO , NÃO TENHO VONTADE , POSSO VER ALGUÉM TOMANDO , NEM DA VONTADE , A MINHA BOCA NÃO SALIVA , ISSO NÃO É INCRÍVEL ? EU SOU UM NAZIREU DE DEUS MEUS IRMÃO EM CRISTO , LOUVADO SEJA O SENHOR . E GLÓRIAS A DEUS POR ESSA MATÉRIA , A PAZ DO NOSSO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO .

    Responder

Seu comentário é muito importante! Comente! Regra 1 - Seja respeitoso. Regra 2- Não aprovamos comentários de anônimos. Obs.: Todos os comentários são moderados antes de serem publicados.