Eu não quero falar em línguas!

Postado por em: Comportamento, Farisaísmo, Mensagens, Reflexões, Vida cristã

Por André Sanchez
Não quero aqui desprezar aqueles que falam em línguas pelo mundo afora, nas TVs, nos púlpitos das igrejas e em outros lugares, mas vamos ser sinceros, a coisa virou uma verdadeira “farra do boi”. Para muitos, falar em línguas virou um sinal para evidenciar se a pessoa é ou não espiritual, se tem ou não a presença do Espírito Santo (base bíblica para isto não existe).


Quanto a mim, vou ser sincero: Não quero falar em línguas! Tenho o Espírito Santo em minha vida e sou um homem dedicado a Deus e ao reino, mas não vou falar em línguas. Poderia até falar, tenho plenas condições para isto, mas não vou subir ao púlpito de minha igreja e ficar falando algo que ninguém entende, que só glorifica a mim mesmo e que não acrescenta nada ao reino de Deus e ao Corpo de  Cristo! [E muito menos ao trabalho de evangelização]

Se é pra buscar algum dom para evidenciar a presença de Deus, vou buscar o dom para levar a Palavra de Deus aos perdidos, vou buscar o dom de apresentar a Cristo, o nosso salvador, a nossa boa notícia, aos sem esperança; vou buscar o dom de servir ao meu próximo, vou buscar o dom de orar pelos que ainda não conhecem a Deus, vou buscar o dom de exercitar a fé independente de circunstâncias, vou buscar o dom de ser um testemunho vivo para as pessoas…
Nada contra o dom de línguas, mas como Paulo “prefiro falar na igreja cinco palavras com o meu entendimento, para instruir outros, a falar dez mil palavras em outra língua.” (1 Co 14. 19)
Os dons foram feitos e dados com o objetivo de servirmos ao próximo e ao Corpo de Cristo. É estranho como alguns dons (?) tem sido usados para engrandecimento do homem, ou para destacá-lo como maior e melhor em meio a multidão. O dom de línguas é um deles. Tem sido usado de forma anti-bíblica e tem trazido glória àqueles que o tem, e não a Deus e ao Corpo de Cristo.
Só pra lembrar, Paulo viu a necessidade de disciplinar o uso deste dom, que estava sendo usado erroneamente na igreja de Corinto, veja:
“No caso de alguém falar em outra língua, que não sejam mais do que dois ou quando muito três, e isto sucessivamente, e haja quem interprete. Mas, não havendo intérprete, fique calado na igreja, falando consigo mesmo e com Deus.” (1 Co 14. 27-28)

Por isso, vale lembrar: “procurai, com zelo, os melhores dons.” (1 Co 12. 31)

15 comentários

  • André Sanchez disse:

    Viviane, os dons foram dados por Deus, mas o seu uso deve ser feito dentro dos propósitos de Deus. O que temos visto atualmente é um uso demasiadamente errado de alguns dons, dos quais destaco neste artigo o de línguas.

    O uso de qualquer dom para edificação egoísta deve ser evitado. O dom é para o coletivo e não para o individual. Não se esqueça que a natureza pecaminosa é forte em nossa vida e mesmo os dons podem ser influenciados por ela e serem usados de forma a causar maldição e não bênção.

    Paulo preferiu não usar algo que tinha, mas que poderia trazer mais confusão aquela igreja.

    O propósito deste artigo foi refletir sobre este aspecto.

    Achei deselegante de sua parte fazer uma propaganda de outro blog dentro dos comentários, mas mesmo assim publiquei, pois creio que foi com a melhor das intenções.

    Um abraço!!

    Responder
  • Isper Sahdo disse:

    "…falando consigo mesmo e com Deus."
    Ainda bem que não esqueceste de colocar a parte final do texto. Tudo é de Deus, tudo é bom, não vem de homens. Se há homens que não os estão sabendo usar, saiba que até para pregar, curar, amar, ajudar em nome Deus farão mau uso do dom.

    Responder
  • Vivi disse:

    meuuuu Deus, se eu fosse "não querer" algo de Deus pelo fato de ter gente que usa errado, misericórdia da minha vida neh… acho que não ia sobrar nada.

    Imagina vc preparar um presente com todo carinho pro seu filho, mas ele chega pra vc e fala… ah pai, isso aí eu não quero, pq um menino aqui da rua tem um igual e só usa pra maldade. como vc se sentiria?

    mas Deus é maravilhoso e nos respeita d+

    então a minha opinião pessoal, se Deus criou um dom especial pra me edificar… ah paizinho eu quero sim e mto e te agradeço mto por criar um dom especificamente pra minha edificação em Ti.

    Um conselho a todos os leitores do blog, nunca despreze nada que Deus criou pra vc, Ele te ama e tudo que vem Dele é bom.

    e sobre o "mas como Paulo" no texto acima é bom ler o texto completo e lembrar que Paulo também disse: “Dou graças ao meu Deus, que falo em línguas mais do que todos vós.” (1 Co.14.18)

    Pra quem desejar um estudo profundo e mto edificante sobre esse assunto eu recomendo o livro O Falar em Línguas do Pr. Luciano Subirá, mto bom. Vc pode conferir um trecho do livro nesse endereço: http://estudos.gospelmais.com.br/os-beneficios-do-falar-em-linguas.html

    Meu amado só tem uma pessoa que faz tudo o que pode pra que você não queira ser edificado. Prefira ouvir a voz de Deus, e desfrute de todas as maravilhas que Ele criou pra você.

    Viviane Soares

    Responder
  • André Sanchez disse:

    Resposta a Viviane:

    Respeito suas opiniões, mas o artigo em nenhum momento desprezou o dom de línguas, mas quis mostrar que existe a hora certa e o jeito certo de se usar os dons que Deus nos dá. Usá-los para se destacar na multidão ou falar que ele é a única evidência da presença do Espírito Santo definitivamente não é Bíblico.

    O culto na igreja de Corinto estava uma bagunça. Paulo disciplinou o uso dos dons e exortou que fossem usados com sabedoria. Pensou inclusive nos incrédulos que adentrassem aquele lugar. Seriam edificados? Certo que não!

    Quando ligo a Tv e vejo alguém falando em língua, para muitos incredulos que estão assistindo, penso que essa pessoa está fazendo um desserviço ao evangelho.

    Portanto, os dons devem sim ser usados com sabedoria e entendimento, no lugar certo e de forma apropriada.

    Eu não uso o dom de línguas na igreja! Prefiro usá-lo na presença de Deus e a sós. Dessa forma sou edificado da mesma forma!

    Um abraço!

    Responder
  • Vivi disse:

    RESPOSTA AO COMENTÁRIO ACIMA:

    Viviane, os dons foram dados por Deus, mas o seu uso deve ser feito dentro dos propósitos de Deus. -> Deus criou o dom de línguas com um propósito que é a minha edificação pessoal.

    O que temos visto atualmente é um uso demasiadamente errado de alguns dons, dos quais destaco neste artigo o de línguas. -> O fato de pessoas usarem de maneira errada o que Deus deu, deve me desmotivar a buscar o que Ele tem pra mim?

    O uso de qualquer dom para edificação egoísta deve ser evitado. O dom é para o coletivo e não para o individual. -> O dom de línguas é para edificação pessoal, então ele é egoísta? Deus criou um dom egoísta? Então Deus criou um dom para mim evitá-lo? Eu devo evitar os dons de Deus? Certamente que não. Quanto mais eu for edificado, mais isso se refletirá a quem está a minha volta.

    Paulo preferiu não usar algo que tinha, -> “Dou graças ao meu Deus, que falo em línguas mais do que todos vós.” (1 Co.14.18). Aqui me parece que ele usava mais do que todos. E ainda diz que o desejo dele é que falemos também… " E eu quero que TODOS vós faleis línguas estranhas…" (1 Co.14.5a)

    Achei deselegante de sua parte fazer uma propaganda de outro blog dentro dos comentários, -> putz, de maneira alguma minha intenção foi divulgar outro blog, mas vc tem toda razão, eu deveria ter copiado e colado o texto aqui, jah que o texto nem pertence ao referido blog, e sim a um livro do Pr. Luciano Subirá, que pelo que eu conheço, tenho certeza que não se importaria com a publicação do texto aqui. Te peço perdão.

    Abraços!

    Responder
  • Vivi disse:

    uhuuuu exatamente André. Agora eu concordei com exatamente TUDO que vc postou no comentário acima.

    Deus te abençoe grandemente e parabéns pelo trabalho com esse blog!

    Responder
  • Anonymous disse:

    Ola André Sanchez!

    Estava fazendo uma pesquisa na NET a respeito do assunto e vi seu Blog.
    Bom… eu da Renovção Carismatica Catolica e ja participo a algum tempo, sempre em uma ou outra reunião vejo alguns usarem do Dom de Linguas… sinceramente não entendo absolutamente nada do que estão falando, estava trocando algumas ideias com um amigo que tambem é servo no grupo de oração e ele me disse que eu tenho que deixar minha lingua soltar e ir falando… peço perdão a Deus se todos os dias mas… para que fazer isso? não seria melhor visitar um asilo? (somente um exemplo) ou outro gsto concreto? Participo tambem do ministerio da musica e sempre percebo e me policio para que eu tambem não seja levado pela vaidade, em frente minha casa tem uma igreja Deus e Amor foi montada em uma loja de + ou – 80 m2 e colocam caixas de som que da para ouvir e icomodar dentro da minha casa… ai fico a pensar se o dom da lingua tem o proposito de edificação pessoal como disse a Viviane porque critar tanto? Deus seria surdo? ou isso é para que todos vejam que ele ora e fala com Deus? Jesus todas as vezes que fazia suas orções ao Pai se refugiava… acredido que Deus esteja no silencio… quando vou ler a Biblia e fazer minhas orações procuro um lugar tranquilo e os faço em silencio… Desculpe meu caro amigo Andre minhas duvidas são muitas se escrevi muita besteira me perdoe.
    Que Deus Abençõe a tods!

    Gracirley Ribeiro

    Responder
  • André Sanchez disse:

    Tudo bem Pamela?!

    O objetivo de meu artigo foi atingido. Uma reflexão a respeito do uso incorreto dos dons. Deus nos dá dons, mas podemos usá-los de forma errada e contrária à vontade Dele. (serve para todos os dons)

    Não é porque temos um dom, que temos que usá-lo de qualquer jeito, em qualquer lugar. Os dons devem ser usados com sabedoria.

    O dom de línguas já causou bastante polêmica no passado e ainda continua causando, pois muitas pessoas o usam para se sobressair e serem apontadas como "mais espirituais" que os outros.

    Eu não sou a favor do uso do dom de línguas como é hoje. Paulo diz que é necessário haver quem interprete o que está sendo falado (1 Coríntios 14:27).

    Hoje vemos pessoas falando desenfreadamente em línguas e ninguém sabe o que foi dito. Não seria melhor aproveitar esse tempo para explicar a Bíblia de forma que as pessoas entendam?

    Concordo com você que precisamos nos dedicar mais as virtudes (Fruto do Espírito).

    No entanto, não há a necessidade de termos todos os frutos do Espírito para só depois exercitarmos nossos dons.

    As duas coisas devem ser feitas ao mesmo tempo, com sabedoria e sempre buscando o desenvolvimento e crescimento (de si mesmo e do Corpo de Cristo).

    Por fim, todos sabemos que os dons são muitos e com os mais diversos propósitos, por isso "procurai, com zelo, os melhores dons." (1 Coríntios 12. 31)

    Até>>

    Responder
  • Pamela Suelen Teixeira disse:

    Olá André, tudo bem, primeiramente gostaria de dizer que adoro seu blog!

    Sobre o seu post a unica parte q achei exagerada foi você falar que não queria o dom de linguas, nesta parte eu concordo com a Viviane, creio que devemos aceitar tudo o que vem de Deus, não devemos rejeitar um Dom porque outras pessoas fazem mal uso deste dom…

    Eu

    estou estudando agora sobre os Dons do Espirito, e creio que muito se fala dos Dons do Espirito e pouco se fala sobre o Fruto do Espirito, que para mim é algo tão importante quanto os dons!

    Na minha visão antes de você conseguir manifestar qualquer dom do Espirito, você precisa buscar ter o fruto do Espirito…

    "Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade,
    mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei".(Gálatas 5:22-23)

    Eu acho uma hipocrisia você se preocupar tanto em ter que falar em linguas, ou profetizar e esquecer do amor ao proximo, alegria em ter o SENHOR na sua vida mesmo nos momentos dificeis,ter paz no coração mesmo quando o mundo te odeia, tantas outras coisas que está Escrito no trecho acima…. que ao meu ver são muito importantes para uma vida cristã autentica!

    O que você acha sobre isto?
    Eu posso está enganada, pois ainda sou uma criança espiritualmente…
    gostaria de saber sua opinião

    Grata…

    Pâmela S.

    Responder
  • Pamela Suelen Teixeira disse:

    Bom dia André,

    concordo plenamento contigo, que devemos buscar mutuamente o uso adequado dos dons e o aperfeiçoamento do fruto do Espirito, pois somente assim podemos fazer verdadeiramente parte do Corpo de Cristo, e sendo assim sermos Cristãos!
    Muito se dizem cristãos, mas poucos realmente são!

    A paz.

    Responder
  • Toni-Toni disse:

    Nunca fui "batizado com fogo" e nem sofro correndo atras deste dom, sei que é bíblico e por isso também sei que vem de Deus. Porém vi que mais difícil é ser cheio do Espírito Santo e sem Ele de forma alguma chegarei ao Céu.

    Responder
    • Djalma disse:

      Não queira ser batizado com fogo, batismo no fogo não é sinônimo de batismo no Espírito, somente Mateus e Lucas usam esta expressão, batismo com fogo, uma em Mateus e uma em Lucas, e é atribuída a mensagem de João Batista, e se você prestar atenção na mensagem do Batista verá que ele usa a palavra fogo como sinônimo de juízo e não de benção, ele diz que toda árvore que não dá fruto será cortada e lançada no fogo ( Mt. 3:10, Lc. 3:9, fogo = Juízo ), no final da mensagem João batista diz que Jesus queimara a palha com fogo que nunca se apagará ( Mt. 3:12, Lc. 3:17, fogo = Juízo ) quando ele diz que Jesus batizaria com Espirito e com fogo ele estava falando de dois batismos distintos, um destinado aos crentes, batismo com o Espírito, e outro destinado aos incrédulos chamados na mensagem de João Batista de árvore sem frutos e palha que serão queimadas com fogo, esses sim serão batizados com fogo que é igual a juízo. Na interpretação considere além da ideia transmitida pela palavra fogo no contexto anterior e posterior veja que entre os ouvintes de João havia crentes e incrédulos e que, na bíblia, Jesus e os apóstolos nunca chamaram o batismo espiritual de batismo com fogo, o evangelista Marcos, capitulo 1, cita parte da mensagem de João Batista registrada no livro de Mateus 3 e Lucas 3, cita apenas aquela parte que João diz que os discípulos seriam batizados com o Espirito, Mc. 1:8, mas não registra a parte da mensagem de João dirigida aos incrédulos, aquela parte em que ele fala da árvore sem fruto Mt. 3:10 e da palha Mt. 3:12 Marcos também não escreve a parte em que João fala do batismo com fogo, porque o batismo com fogo não é para crente e sim para a árvore sem fruto e para a palha figuras do incrédulo na mensagem do Batista.

      Responder
  • acacio disse:

    ate qe enfin achei alguem qe concorde ou pense como eu, ta virando palhaçada isso já…

    Responder
    • André Sanchez disse:

      Valeu, Acacio… o coisa tá bem feia mesmo nessa questão!

      Responder
  • Djalma disse:

    Congrego em uma igreja pentecostal, e o que tenho percebido é que neste meio se valoriza mais a experiência do que a instrução da bíblia e esse comportamento não é diferente em relação ao dom de variedade de línguas, por isso se fala e ensina tanta besteira no meio em relação a esse assunto tais como:
    1 Quem fala línguas é mais espiritual do que os outros ( já vi nos 16 anos de crente e ainda veja pessoas que compram e não pagam, pessoas com vícios, cheias de confusão, que não perdoam, mentirosos, pessoas que se descobriu que estava em adultério e no culto falavam línguas e ainda percebo isso )
    2 Culto avivado é o culto em que todos ou a maior parte falam línguas ( quanto ao uso do dom no culto coletivo Paulo orienta dizendo que no culto falem dois ou três se houver interprete se não houver interprete que fique calado na igreja, o que se percebe é que no meio pentecostal os pregadores, na contramão da bíblia, incentivam toda igreja, durante a celebração do culto, a falar em línguas )
    3 quem não fala línguas não tem o Espírito Santo, precisa receber o Espírito para falar em línguas ( dizer que quem não fala línguas não tem o Espírito Santo é no minimo ridículo, todo crente em Jesus recebeu o Espírito Santo na conversão Ef. 1:13; Rm. 8:9 e tem o Espírito habitando em si 1Co. 3:16. e o dom de línguas não é dado a todos os crentes em 1Co. 12:10 diz que o dom de variedade de línguas é dado a uns não a todos )
    4 Línguas estranhas é a língua dos anjos 1Co. 13:1 ( Meu Deus que dificuldade, no texto referido Paulo não faz tal afirmação, em 1Co. 13 Paulo ele apenas fala de uma situação hipotética para falar da supremacia do amor, ele diz que:…ainda que eu falasse as línguas… e dos anjos. Veja que ele não diz que fala a língua dos anjos ele diz que ainda que eu falasse,ele também não afirma no texto que haja uma língua de anjo especifica, pergunto em que língua o anjo conversou com Abraão no AT ou com Maria mãe de Jesus no NT. Ele, Paulo apenas levanta uma situação hipotética para falar da supremacia do amor. )
    5 O pastor e o obreiro tem que falar línguas ( pelo amor de Deus aonde está isso na bíblia, estabelecem regras que não existem na bíblia para o ofício pastor, obreiro e colocam no posto pessoas que não cumprem com os requisitos exigidos para pastor e obreiros em 1Tm. 3 )
    6 No dia de pentecostes todos foram batizados e falaram línguas estranhas ( No texto de atos 2 não há nada que afirme que houve manifestação de línguas estranhas naquele dia, em At. 2:4 guando se diz que todos falaram noutras línguas o próprio texto no seu contexto mostra que essas outras línguas na realidade eram idiomas estrangeiros sendo falado pelos discípulos sem que eles nunca tivessem estudado tal idioma isso está claro nos versículos de 7a 11 de atos 2 guando diz que os judeus estrangeiros estavam admirados porque os judeus da nativos de Israel estavam falando na língua, idioma, em que eles os judeus estrangeiros haviam nascidos. Outra, atos 2 não é norma para igreja o que temos ali é um registro histórico de um grande acontecimento, norma para uso do dom línguas na igreja estás em 1Co. 14. )

    Responder

Seu comentário é muito importante! Comente! Regra 1 - Seja respeitoso. Regra 2- Não aprovamos comentários de anônimos. Obs.: Todos os comentários são moderados antes de serem publicados.